Você está aqui

Filipinas: tufão Hagupit perde força e equipes de MSF avaliam situação em Samar

08/12/2014
Situação é bem menos grave do que devastação causada pelo tufão Haiyan no país, no final de 2013

O tufão Hagupit enfraqueceu e, ainda que não se tenha a exata dimensão do prejuízo causado às Filipinas, não parece ter sido tão grave quanto o esperado, afirma o coordenador-geral da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) no país, Olivier Aubry.

“A situação é muito diferente do ano passado”, diz Olivier. “O tufão Hagupit atingiu as ilhas com intensidade equivalente à categoria três, o que significa muito menos ventos e chuvas do que vimos com o tufão Haiyan, que foi de categoria cinco. Embora não tenhamos dados oficiais, parece que as evacuações foram eficientes e houve menos mortes.”

O tufão, que atingiu primeiramente a cidade de Dolores, no leste de Samar, na noite de domingo, agora move-se rumo ao noroeste de Torrijo, na ilha de Marinduque. Atualmente, o tufão tem sido reportado como categoria um e lento como uma tempestade tropical.

Com o nível de estragos e necessidades médicas ainda indefinidos em Samar, equipes de MSF em Tacloban estão se preparando para partir amanhã para avaliar regiões da ilha.  

A equipe, que consiste em um coordenador de campo, um logístico e um referente médico, vai viajar de carro pelo sudoeste de Samar antes de chegar a Taft, no leste da ilha.

As equipes cirúrgicas e de coordenação de MSF permanecem em alerta em Manila, impossibilitadas de partir por causa das más condições climáticas ali e nas áreas afetadas pelo tufão. MSF tem dois helicópteros à disposição que podem transportar as equipes rapidamente para Tacloban e para as regiões da ilha de Samar que foram atingidas logo que possível.

A previsão é a de que as equipes partam para Tacloban amanhã, e a equipe de coordenação deve avaliar a situação no nordeste de Samar.

Enquanto isso, o pessoal de MSF em Tacloban reportou uma melhora das condições climáticas com chuvas leves e inundações apenas em regiões próximas do mar.

O Hospital Provincial de Leyte, apoiado por MSF, estava funcionando normalmente, com toda a equipe de volta ao trabalho. Hoje, 33 mães e bebês estão internados no hospital, e uma cesariana foi realizada durante a noite. Seis outras pessoas surgiram com ferimentos relacionados com o tufão.

“É assim mesmo que as coisas funcionam”, comenta o coordenador do projeto em Tacloban, Elvis Otieno. “Estamos funcionando, com pacientes dando entrada no hospital hoje. As pessoas estão de volta às ruas e os carros de volta às estradas.”

MSF atuou nas Filipinas durante a resposta ao tufão Haiyan em 2013, oferecendo serviços médicos às populações afetadas no leste de Visayas.

Leia mais sobre