Você está aqui

Filipinas: Recuperação interrompida por novo tufão

04/11/2009
Atuante desde as inundações do mês passado, MSF organiza clínicas móveis e distribuições de kits para socorrer vítimas

a madrugada de sexta, 30 de outubro, o Tufão Mirinae atingiu a costa leste da província de Quezon. Gerando ventos de 150km/h com rajadas de 186 km/h, o Mirinae, também chamado de Santi, trouxe chuvas intensas e inundações para a região antes de enfraquecer se tornando uma tempestade tropical que agora ruma para o Vietnã.

O tufão afetou Manila, especialmente ao redor de Tay Tay barangay e Laguna Bay. Ao menos 19 pessoas foram mortas e muitas outras estão desaparecidas. Mais de 15 mil pessoas foram deslocadas para diversos centros de evacuação e cerca de 300 mil pessoas foram afetadas em 14 províncias. O Mirinae causou estragos em uma área que ainda se recupera das graves inundações causadas pela tempestade tropical Ketsana, ocorrida no final de setembro de 2009.

“Em algumas áreas, a água chegou até a altura da cintura. As pessoas ainda estavam tentando lidar com as conseqüências do tufão Ketsana e já estavam há semanas vivendo com água parada.”, disse o coordenador da emergência de MSF, Pierre Luigi Testa. “Essa nova provação com certeza deixará a população mais vulnerável às doenças transmitidas pela água.”

MSF, que tem prestado socorro para as vítimas em todas as áreas afetadas de Laguna Bay e do leste de Manila desde o mês passado, foi avaliar as novas áreas inundadas, especialmente nas zonas costeiras do sul de Laguna e em Santa Cruz, onde 80% da cidade ficou submersa.

Em Tarlac barangay, Los Banos, Cabuyao, Santa Cruz e Calambra, MSF identificou a necessidade de distribuição adicional de kits de higiene, coberturas de plástico, água e atividades sanitárias, incluindo a construção de latrinas e o fornecimento de água potável. Cinco postos de saúde primária foram inundados após o tufão e MSF vai organizar novas clínicas móveis na área.

MSF mantém clínicas móveis regulares na região de Laguna, tanto nos centros de evacuação como nas comunidades inundadas, e continua a monitorar a situação de saúde. Mais de 1,5 mil consultas já foram realizadas desde o inicio da intervenção.

Em colaboração com o Ministério da Saúde, MSF também trabalha no controle e na vigilância dos casos de diarréia e leptospirose, infecções bacterianas causadas pela exposição à água contaminada por excrementos animais.

MSF tem distribuído kits de ajuda com alimentos enlatados, utensílios de cozinha, sabão, cobertores e material para construção de abrigos para aproximadamente 18 mil famílias nas áreas afetadas. Atividades de água e saneamento também estão em andamento e incluem a construção de latrinas e a distribuição de kits saneamento com cloro e escovas nos centros de evacuação.

Depois da intervenção inicial na ilha de Luzon e nas províncias de Gagayan e Illocos, MSF tem levado assistência às vítimas de inundações em Pangasinan, Tarlac e Benguet, onde 1,2 mil kits de higiene e construção foram distribuídos. Nestas áreas, MSF realizou cerca de 2,5 mil consultas e continua a monitorar a situação de saúde e casos de diarréia e leptospirose, de modo a prevenir possíveis surtos das doenças. MSF também construiu latrinas temporárias em Rosales e Pangasinan e distribuiu tabletes purificadores de água para mais de 9 mil domicílios.

Leia mais sobre