Você está aqui

Filipinas: MSF responde às necessidades das vítimas

08/10/2009
Equipes se deslocam e atendem feridos e desabrigados em decorrência de inundações

Médicos e profissionais de logística de Médicos Sem Fronteiras (MSF) estão atualmente avaliando a situação na ilha principal de Luzon, na medida em que a tempestade tropical Parma continua no norte das Filipinas. Autoridades temem novos deslizamentos e inundações, dado que chuvas intensas e ventos fortes ainda predominam na área. Duas equipes de MSF, de sete pessoas, estão no momento avaliando regiões afetadas no norte e realizando consultas médicas conforme se deslocam. Uma das equipes está indo em direção ao leste da cidade de Claveria e a outra rumo ao sul, na direção de Llocos.

Quase duas semanas após o tufão Ketsana ter atingido as Filipinas, imensas áreas da cidade de Manila e seu entorno ainda estão debaixo d’água. Apesar da resposta rápida e eficiente das autoridades, algumas áreas remotas ainda não receberam suporte. Equipes de MSF tem se concentrado nas áreas mais difíceis de serem alcançadas, tais como a Baía de Laguna, no sudoeste da cidade, e têm providenciado atendimento em clínicas móveis para pessoas que não conseguiram chegar às estruturas de saúde do governo. No total, oito médicos de MSF, algumas vezes se deslocando por barco, providenciaram mais de 800 consultas.

"As principais patologias são diarreia, infecções de fungos nos pés e nas pernas e infecções respiratórias. A água parada e a interrupção do sistema de saneamento podem causar problemas, precisamos continuar monitorando de perto”, disse Oifa Bouriachi, coordenadora de emergência de MSF.

Embora a situação tenha se estabilizado perto de Manila e os níveis de água estejam lentamente baixando, cerca de 340 mil pessoas ainda estão abrigadas em mais de 500 centros de evacuação. Em algumas áreas inundadas, a diminuição dos níveis de água pode demorar meses. Até agora, as equipes de MSF forneceram mais de 3 mil kits de higiene, assim como equipamento para melhorar as condições sanitárias nos centros de evacuação.

Enquanto isso, MSF enviou 22 toneladas de material para Manila (itens não-alimentares, como cobertores, enlatados e kits de higiene). As equipes de MSF pretendem permanecer na área para acompanhar de perto a situação e responder a todas as necessidades que surgirem.

Leia mais sobre