Você está aqui

Filipinas: MSF atua nas áreas mais afetadas

13/10/2009
Equipes levam ajuda a regiões assoladas por chuvas, deslizamentos, inundações e superlotação nos centros de evacuação

As chuvas torrenciais e prolongadas que afetaram o norte das Filipinas provocaram novas destruições e sofrimentos. No dia 8 de outubro, a província de Benguet foi afetada por centenas de deslizamentos que causaram cerca de 180 mortes. O vazamento de água de uma represa que já tinha atingido sua capacidade máxima inundou entre 60% e 80% da província de Pagasinan. Trinta cidades foram inundadas de acordo com as autoridades e 50 mil pessoas tiveram que deixar suas casas.

Duas equipes móveis de MSF têm providenciado assistência no extremo norte da ilha de Luzon. Outra equipe está atualmente na província de Pangasinan oferecendo cuidados médicos e materiais de socorro para as pessoas mais vulneráveis, especialmente ao redor da cidade de Rosales, onde muitos ainda não receberam nenhuma ajuda.

“Quando nossa equipe chegou a Rosales na sexta, havia literalmente um rio correndo através da cidade”, disse Voitek Asztabski, coordenador de emergência de Médicos Sem Fronteiras (MSF). “Aproximadamente 100% das casas foram afetadas e as condições de vida nos centros de evacuação são terríveis. As pessoas precisam de comida e materiais de higiene. Nossas equipes estão trabalhando contra o relógio, mas as necessidades são imensas e nós estamos ansiando ver outras agências se unindo ao esforço que temos feito aqui.”

Em Manila e seus arredores, mais equipes de MSF continuam trabalhando para levar ajuda médica às populações mais vulneráveis afetadas pela tempestade tropical Ketsana, que atingiu as Filipinas duas semanas atrás afetando 3,9 milhões de pessoas e forçando 500 mil a abandonarem suas casas.

A principal prioridade dos médicos de MSF é levar cuidados de saúde para pessoas que vivem em áreas inundadas de Metro Manila, Laguna, Rizal e Pagasinan, onde o sistema de saúde é freqüentemente afetado. Além disso, equipes de MSF estão constantemente avaliando as condições de higiene nos superlotados centros de evacuação de modo a detectar e responder a potenciais surtos de doenças.

Duas semanas após o Ketsana ter atingido a região central da ilha de Luzon, ainda existem grupos de pessoas vivendo em áreas pobres inundadas, que não foram alcançadas pelo esforço de socorro. Essas áreas se encontram especialmente ao longo das margens do rio em Manila.

Leia mais sobre