Você está aqui

Filipinas: em Manila, densidade demográfica ameaça resposta rápida contra a COVID-19

29/01/2021
A capital do país é a mais afetada pela pandemia, especialmente nas áreas urbanas mais pobres
Filipinas: em Manila, densidade demográfica ameaça resposta rápida contra a COVID-19

Foto: Melanie Wenger/MSF

Em dezembro de 2020, havia mais de 450 mil casos de COVID-19 nas Filipinas - quase metade foi detectado na região densamente povoada de Metro Manila.

Comunidades densamente povoadas

Proteger as pessoas da pandemia de COVID-19 é especialmente desafiador em Manila. Allen Borja, enfermeira de prevenção e controle de infecções no projeto de Médicos Sem Fronteiras (MSF) em Tondo, Manila, descreve suas visitas às favelas:

“Uma barangay (menor unidade administrativa) que apoiamos tinha uma população de 55 mil pessoas, enquanto uma outra tinha 61 mil. Isso é baseado no censo de 2015. A população é fluida, e a cada três meses novos residentes se instalam aqui.” Borja diz que, em algumas barangays, as melhores casas têm dois cômodos, enquanto outras são apenas uma lona sustentada com um pouco de madeira. “Muitas casas não têm janelas. Esgotos e resíduos circulam livremente nas ruas. O básico não está disponível em muitas casas - colchões, pisos de qualquer tipo ou qualquer forma de luz. As ruas entre as casas são estreitas e cheias de lixo aberto e encanamentos de água fechados lado a lado. A poluição e a qualidade do ar são muito ruins. Algumas crianças defecam abertamente na rua. Muitas pessoas têm fogueiras a lenha acesas dentro de casa; as cinzas tornam o ar extremamente difícil de respirar.”

Um grande prejuízo para a saúde mental

Até o final de agosto, os pacientes foram autorizados a se isolar em casa, mas isso era um desafio nas favelas de Tondo. A assistente social de MSF Lyka Lucena disse: “O isolamento domiciliar é muito difícil - quase impossível - para as pessoas que vivem em Tondo. É raro encontrar um quarto separado para o paciente. Muitos pacientes estavam lutando para obter o básico devido a questões econômicas, como desemprego repentino e a perda de fonte de renda para os que trabalhavam na economia informal. Aqueles que não perderam o emprego não puderam se apresentar ao trabalho devido às limitações de transporte. Muitas pessoas passaram fome. A maioria dos pacientes eram os principais responsáveis pela família, portanto, suas famílias também foram afetadas, incluindo aqueles que estavam enviando dinheiro para a província.”

Para ajudar as pessoas em quarentena domiciliar, as equipes de MSF forneceram mais de dois mil kits contra a COVID-19, contendo máscaras descartáveis, termômetro, álcool, sabonete e cartão de contato de uma assistente social. Como aqueles que estavam em quarentena não podiam trabalhar, MSF colaborou com uma congregação religiosa local, os Missionários da Caridade, para fornecer pacotes de alimentos de acordo com a necessidade.
 
Devido a essas condições difíceis, Lucena acrescenta: “A maioria das pessoas em quarentena domiciliar enfrentou ansiedade e emoções depressivas. Elas estavam preocupadas com a possibilidade de infectar outras pessoas, especialmente seus entes queridos. Também estavam com medo de adoecer ou pegar COVID-19 novamente. Muitos pacientes viviam solidão por estarem longe de suas famílias. Muitas pessoas compartilharam sentimentos de raiva, frustração e impotência sobre sua situação.”

Equipes de MSF ofereceram suporte remoto de saúde mental para pessoas isoladas em casa. “Tentamos ajudar a aliviar seu sofrimento, identificando e enfatizando suas estratégias de enfrentamento saudáveis e estabelecendo formas de ajudar a si mesmos. Também conversamos sobre sentimentos de discriminação e estigmatização. Encorajamos os pacientes a se reconectarem com seus entes queridos, como familiares, amigos e outros grupos sociais, lembrando-os de seu sistema de apoio social”, disse Lucena.

Apoiando a comunidade

Em barangays ou em centros de saúde comunitários, MSF contribuiu para melhorar as medidas de prevenção e controle de infecções, por meio de treinamento de pessoal, fornecimento de equipamentos de proteção individual, estações de lavagem de mãos, sabonete e outros materiais de limpeza, barreiras de acrílico e material educacional sobre a COVID- 19. MSF também ajudou no rastreamento de contatos por meio do fornecimento de transporte.

O apoio a pacientes de COVID-19 e contatos próximos incluiu o fornecimento de kits contendo máscaras faciais, álcool, sabonete e termômetro. Os pacientes também receberam cuidados de saúde mental e apoio psicossocial.
 
MSF também apoiou as barangays, fornecendo às equipes locais de resposta a emergências de saúde suprimentos de prevenção e controle de infecções, como: máscaras, protetores faciais, álcool e sabonete. As equipes de MSF produziram materiais em vídeo de comunicação sobre a COVID-19 e forneceram lonas para atividades de promoção de saúde e de higienização das mãos. Um total de 14 mil máscaras foram distribuídas.

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar