Você está aqui

Filipinas: atividades médicas de MSF tiveram início

18/11/2013
Equipes continuam avaliações das necessidades em diversas localidades, mas os primeiros pacientes já foram tratados

Mesmo ainda diante de sérias dificuldades logísticas, as atividades das equipes da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) nas ilhas mais afetadas pelo tufão Haiyan estão começando a tomar forma. Com 137 profissionais internacionais em campo e a chegada de 232 toneladas de suprimentos, as equipes de MSF continuam a avaliar as regiões além das principais cidades enquanto oferecem cuidados médicos imediatos em um número crescente de locais. MSF está em atividade nas ilhas de Samar, Leyte e Panay, e, mais recentemente, começou a avaliar as necessidades em Masbate. Mais profissionais estão a caminho das Filipinas, bem como cargas adicionais de itens de primeira necessidade.
 
Samar
A equipe de emergência de MSF no leste da ilha de Samar, primeira localidade atingida pelo tufão, iniciou atividades médicas na cidade de Guiuan. Foram realizadas 600 consultas médicas no primeiro dia de atividades, a maioria delas relacionada a feridas infeccionadas e lacerações. A equipe de MSF está trabalhando com dois médicos filipinos e muitas pessoas da comunidade estão se voluntariando para ajudar da forma que podem.

Metade do hospital de Guiuan foi destruída e a outra metade danificada tão gravemente que será extremamente difícil reparar. Por agora, o pessoal médico está em meio às ruínas, mas um hospital improvisado está sendo estruturado em uma tenda. A equipe em Guiuan recebeu 30 toneladas de materiais e suprimentos. Mais aviões de carga chegarão nos próximos dias, sendo que, entre eles, um estará carregado de equipamentos para água e saneamento e outro com cerca de 1.700 tendas para abrigo. Mais suprimentos médicos também estão a caminho.

“Em Guiuan, na cidade de 45 mil habitantes, todos os tetos foram arrancados”, conta a Dra. Natasha Reyes, coordenadora de emergência de MSF nas Filipinas. “Metade dos hospitais da cidade foram destruídos – sem telhado, equipamentos elétricos destruídos, etc. Antes era uma instalação médica com 50 leitos e raio-X, centros cirúrgicos, tudo. O vento destruiu o concreto.”

Leyte
Na cidade de Tacloban, uma equipe com oito pessoas está sendo reforçada com mais membros – médicos, enfermeiros, logísticos e um psicólogo – para ajudar na estruturação de um hospital inflável. A instalação ficará localizada próximo ao hospital de Bethany, na Tacloban beira-mar, que foi severamente prejudicada pela onda. O plano é estabelecer serviços médicos integrais incluindo uma sala de emergência, um departamento de internação, centro cirúrgico, ala para o pós-operatório, unidade de obstetrícia e ginecologia, sala de parto, atividades psicossociais, banco de sangue, raio-X e ala para isolamento.

Na cidade de Palo, 12 quilômetros ao sul de Tacloban, uma equipe de três pessoas está organizando as atividades de saúde primária. Na cidade de Ormoc e em seu entorno, equipes que contam com um médico, enfermeiros, especialistas em logística e um psicólogo começaram a conduzir clínicas móveis, à medida que continuam avaliando necessidades adicionais. As atenções estão voltadas para os centros de evacuação, onde as pessoas se reuniram após o tufão. A equipe tem oferecido cuidados médicos básicos.

Duas equipes conduziram avaliações nas costas leste e oeste da ilha. Na costa oeste, observou-se danos estruturais na maioria das casas, mas, de forma geral, a situação não estava tão ruim quanto na costa leste, onde a maioria das estruturas de saúde visitadas haviam sido danificadas e estão com problemas relacionados a suprimentos.

Na cidade de Dulang, com uma população de cerca de 48 mil habitantes, a instalação de saúde foi parcialmente destruída e a equipe médica reporta um aumento no número de pacientes com diarreia. Foram também recebidas algumas pessoas feridas, principalmente com cortes. O sistema de transferência de pacientes não está mais funcionando porque não há combustível para o transporte. A equipe de MSF está planejando distribuir itens de primeira necessidade e prestar suporte à instalação médica.

Panay
No norte da cidade de Iloilo, e nas ilhas litorâneas, a destruição é de 90%. MSF está planejando concentrar-se nas necessidades mais agudas, incluindo a oferta de cuidados médicos primários por meio de clínicas móveis e a distribuição de itens de primeira necessidade. As necessidades continuam sendo avaliadas em outras regiões da ilha, para identificar onde a resposta médica de MSF é mais urgentemente necessária.

Itens de primeira necessidade vão chegar à cidade de Roxas e MSF está inaugurando dois departamentos ambulatoriais nas cidades de Cartes e Estancia.

Masbate
MSF começou uma avaliação das necessidades na ilha de Masbate.

Leia mais sobre