Você está aqui

"Famintos por Atenção": Uma visão nova e radical da desnutrição

02/06/2010
Médicos Sem Fronteiras e a agência fotográfica VII lançam campanha multimídia global sobre desnutrição infantil; a crise afeta 195 milhões de crianças ao redor do mundo

A organização médico-humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) e a agência fotográfica VII lançam hoje "Famintos por atenção", uma campanha multimídia global que apresenta uma perspectiva nova e única da desnutrição infantil, uma condição que pode ser prevenida e tratada, mas que mesmo assim leva a vida de milhões de crianças todos os anos.

A colaboração desafia noções estabelecidas sobre desnutrição através de uma série documental dividida em sete pequenas partes: imagens marcadas por clichês são substituídas por aquelas de parentes e profissionais de saúde lutando para satisfazer as necessidades alimentares de crianças em fase de crescimento. “Famintos por atenção” destaca como doenças infantis e mortes precoces podem ser prevenidas com intervenções nutricionais. O lançamento da campanha coincide com o início de uma “temporada de fome” particularmente rigorosa na região africana de Sahel. Neste período, as culturas alimentares acabam antes da próxima colheita e a desnutrição normalmente aumenta.

Os documentários serão divulgados em um período de sete semanas que começa hoje em:
http://www.starvedforattention.org/(disponível em português).

“Documentar a desnutrição têm sido um dos maiores desafios que nossa agência já enfrentou,” diz o fotógrafo da VII, Ron Haviv. “Existe uma sensação de que essa história já foi contada nos arquivos produzidos por fotojornalistas que cobriram a fome no século 20. No entanto, acreditamos ter encontrado uma linguagem visual totalmente nova para contar essa história – uma forma que tem o potencial de causar grande impacto.”

A todo o momento, um número estimado de 195 milhões de crianças são afetadas pela desnutrição ao redor do mundo. Esse problema contribui para no mínimo um terço das oito milhões de mortes anuais de crianças abaixo de cinco anos de idade. Essas mortes podem ser prevenidas se as exigências nutricionais das crianças forem atendidas. “Famintos por atenção” ressalta o que é possível, focalizando estratégias de sucesso implementadas diariamente para enfrentar a desnutrição, e mostra como elas podem, e devem, ser expandidas.

Os mais vulneráveis são as crianças com até dois anos de idade, que possuem necessidades nutricionais especialmente altas. Se crianças nessa faixa-etária não recebem alimentos de qualidade capazes de providenciar uma alimentação balanceada, elas podem sofrer de baixa estatura, déficit cognitivo e alta vulnerabilidade para doenças. No pior dos casos, elas podem morrer prematuramente.

“Nossas equipes médicas que trabalham em mais de 30 países com altos níveis de desnutrição, na África Subsaariana e no Sul da Ásia, demonstraram que com intervenção antecipada, com alimentos balanceados e de qualidade, inúmeras crianças podem ser poupadas das conseqüências da desnutrição,” diz o Dr. Chritophe Fournier, presidente do Conselho Internacional de MSF. “Nós sabemos do que as crianças precisam. É simplesmente uma questão de garantir que elas o consigam.” Em 2009, MSF tratou 250 mil crianças desnutridas em 34 países.

Os fotojornalistas da VII, Marcus Bleasdale, Jessica Dimmock, Ron Haviv, Antonin Kratochvil, Franco Pagetti, Stephanie Sinclair e John Stanmeyer contribuíram para a campanha “Famintos por atenção”. Eles viajaram para vilarejos rurais, zonas de guerra, capitais lotadas e refúgios em montanhas para documentar a desnutrição infantil e suas várias faces: a incongruência da desnutrição infantil em um Congo abundante e exuberante; a natureza cíclica da desnutrição em Bangladesh; o impacto da temporada improdutiva anual no Sahel. E ao destacar programas bem sucedidos de tratamento e prevenção em países como México e Estado Unidos, “Famintos por atenção” enfatiza o grande potencial para combater antecipadamente a desnutrição infantil.

A campanha "Famintos por atenção" busca a construção de uma consciência crítica que será traduzida em reformas na assistência humanitária alimentar e em programas nutricionais para crianças desnutridas, e na mobilização dos recursos necessários para impulsionar programas destinados à prevenção e ao tratamento da desnutrição. Visitantes do portal starvedforattention.org podem adicionar seus nomes em uma petição global intitulada: “Superando a desnutrição infantil: A hora de agir é agora.”

Atualmente, doadores internacionais de alimentos providenciam na maioria das vezes cereais à base de farinha fortificada. Embora esses alimentos possam aliviar a fome, eles não satisfazem as necessidades nutricionais de crianças em fase de crescimento. Por exemplo, os EUA, maior doador de ajuda alimentar do mundo, está enviando alimentos abaixo do padrão capaz de satisfazer os requisitos nutricionais básicos de bebes e crianças pequenas. Esses alimentos não são os mesmos oferecidos para crianças nos EUA. “Famintos por atenção” expõe essa situação de “duplo-padrão”.
 
Estratégias testadas para responder à desnutrição são efetivas e tem mostrado resultados promissores em muitos países. Alguns, incluindo o México, Tailândia e Brasil, reduziram a desnutrição infantil precoce através de programas nutricionais diretos que garantem que bebes e crianças pequenas, até mesmo as que pertencem às famílias mais pobres, tenham acesso a alimentos de qualidade, como leite e ovos. Ao mesmo tempo, existe uma vontade política crescente em países africanos e asiáticos de reproduzir programas de sucesso. A campanha “Famintos por atenção” apela para que esses esforços sejam apoiados.

Junto ao site disponível em diversas línguas, a campanha global será lançada esta noite em Nova Iorque com uma exibição e um painel de discussão, seguida de uma exposição na galeria VII, no Brooklyn, em Nova Iorque. A exposição multimídia vai viajar para Toronto, Milão e Roma, dentre outros.

“Famintos por atenção” se tornou possível graças ao apoio da LG Electronics, que providenciou apoio financeiro e sua ultima geração de painéis televisivos de tela plana INFINIA para exibir os documentários nas exposições.