Você está aqui

Explosão na região de Idlib, na Síria, causa várias vítimas

01/11/2019
É o segundo episódio de violência em massa atendido por MSF em uma semana
O conflito contínuo na região de Idlib, no noroeste da Síria, está criando uma enorme necessidade de assistência médica. Uma grande explosão na cidade de Darkoush, na tarde de quinta-feira, 31 de outubro, resultou em 12 vítimas com necessidade de tratamento urgente em um hospital próximo, apoiado pela organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF). 
 
Um prédio perto do centro da cidade de Darkoush explodiu e a causa ainda não está clara. A força da explosão feriu muitas pessoas nas proximidades. Tragicamente, duas vítimas chegaram mortas ao hospital, não tendo resistido aos ferimentos durante o trajeto até hospital. Dois dos pacientes ficaram gravemente feridos; um menino de 12 anos de idade com um ferimento na cabeça e uma menina de 16 anos de idade com ferimentos abdominais, ambos estabilizados e encaminhados para outros hospitais com mais capacidade técnica médica. Três pacientes tiveram ferimentos moderadamente graves na cabeça, pé ou mão que puderam ser tratados no hospital apoiado por MSF. Cinco pacientes tiveram ferimentos mais leves na cabeça, perna, pé ou mão, também tratados neste hospital.
 
Um dos médicos com mais experiência do hospital apoiado por MSF explicou o nervosismo atualmente sentido por sua equipe médica. “Depois de um grande afluxo de vítimas em massa que enfrentamos na semana passada e com esse novo afluxo de feridos ontem, o hospital aumentou sua prontidão. Decidimos parar de receber todos os casos não emergenciais nos próximos dias. Esperamos receber outras vítimas devido ao aumento do bombardeio na área. Recusar pacientes nunca é uma decisão fácil para qualquer médico ou hospital. Mas sentimos que agora é necessário que nossas equipes médicas estejam em espera permanente para uma cirurgia urgente e vital”.
 
Os hospitais apoiados por MSF em Idlib responderam a dois eventos com vítimas em massa no espaço de uma semana e está claro que a necessidade de assistência médica para salvar vidas continua alta nesta prolongada e violenta guerra. "MSF apela a todas as partes em conflito na Síria para que garantam a proteção de civis, incluindo profissionais de saúde e seus pacientes", disse Duccio Staderini, coordenador-geral de MSF para operações de resposta na Síria. 
 
***
 
No noroeste da Síria, as equipes de MSF oferecem cuidados de saúde materna, cuidados gerais de saúde e tratamento para doenças não transmissíveis (DNTs) por meio de clínicas móveis. Elas distribuem itens de primeira necessidade e melhoram os sistemas de água e saneamento. Elas também apoiam atividades de vacinação regulares em dois centros de vacinação e um hospital, assim como por meio de clínicas móveis.
 
Em Atmeh, MSF mantém uma unidade especializada em queimaduras que oferece cirurgia, enxertos de pele, curativos, fisioterapia e suporte psicológico. MSF oferece apoio à distância e presta assistência de saúde primária e secundária em vários hospitais e clínicas em torno de Idlib e Alepo. Também tem parcerias de co-gerenciamento com três hospitais, incluindo o hospital que respondeu ao evento de vítimas em massa de quinta-feira.
 
Os programas médicos de MSF nas províncias de Raqqa e Al Hasakeh, no nordeste da Síria, foram reduzidos ou suspensos desde 15 de outubro de 2019, pois não conseguimos garantir a segurança de nossas equipes devido ao conflito na região.
 
Para garantir independência de pressões políticas, MSF não recebe financiamento de qualquer governo para o seu trabalho na Síria.
 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar