Você está aqui

Estudo mostra que alimento terapêutico pode prevenir desnutrição

21/01/2009
Pesquisa foi realizada em 12 vilarejos da região de Maradi, em Níger, e publicada no Jornal da Associação Médica Americana

Um estudo publicado nesta terça-feira no Jornal da Associação Médica Americana (JAMA) mostra que as crianças da área rural de Níger que têm alimentos terapêuticos ricos em nutrientes e prontos para o uso adicionados à sua dieta normal apresentam 60% menos probabilidade de ficar gravemente desnutrida.

"Os alimentos altamente ricos em nutrientes (RUF, na sigla em inglês) são recomendados pelas Nações Unidas para o tratamento de desnutrição aguda severa", explica Rebecca Freeman Grais, uma das principais autoras de Epicentro, centro de pesquisa afiliado à organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Mas esse estudo controlado mostra como os alimentos terapêuticos ricos em nutrientes podem também prevenir a desnutrição".

O estudo de grupo randomizado foi realizado em 12 vilarejos, em 2006 e 2007, no distrito de Maradi, no Níger, durante o "período de fome", que precede a primeira colheita do ano. Participaram 3. 533 crianças com idades de seis meses a cinco anos.

Metade das crianças recebeu uma ração diária de RUF por três meses como suplemento para sua dieta regular. Durante o estudo de oito meses, as crianças de ambos os grupos foram monitoradas mensalmente. Os resultados mostraram que as crianças que receberam o RUF tinha 58% menos chance de sofrer de desnutrição severa aguda.

"Esse estudo tem implicações diretas no programa alimentar e de nutrição", afirmou Dr. Tido von Schoen-Angerer, diretor da Campanha de Acesso a Medicamentos Essenciais de MSF. "Hoje, a maior parte da ajuda alimentar oferecida às crianças é composta de farinha foritificada, como a mistura de milho e soja (CBS, na sigla em inglês) dada pela USAID, que sabemos não conter os nutrientes essenciais para o crescimento das crianças e que, portanto, não evita a desnutrição. Esse estudo mostra que oferecer uma alternativa apropriada ao CBS funciona".

A cada ano, a desnutrição é responsável pela morte de entre 3,5 milhões a 5 milhões de crianças com menos de cinco anos de idade. Além disso, acarreta problema a longo prazo como saúde frágil, debilidade e dificuldades de desenvolvimento e de aprendizado. Prevenir a desnutrição severa é essencial porque o sistema imunológico de uma criança gravemente desnutrida é tão frágil que doenças comuns da infância, como infecções respiratórias ou viroses estomacais, podem rapidamente levar a complicações e até mesmo à morte.

O estudo de Níger utilizou a versão terapêutica de um RUF que é relativamente caro. Mas os resultados nos levam a acreditar que produtos similares e mais em conta podem ter o mesmo efeito preventivo. Vários produtos desta natureza têm sido testados em estudos múltiplos por grupos como Unicef e o Fundo Mundial da Alimentação.

Nos últimos dois anos, MSF tratou mais de 300 mil crianças desnutridas em 22 países. MSF começou a usar essa estratégia de prevenção com uma pasta mais barata em seus projetos em 2007. A distribuições em larga escala de produtos como esse para as crianças na região de Maradi reduziram o pico sazonal de desnutrição grave.