Você está aqui

Equipes de MSF são atacadas por homens armados em Kivu Sul, na República Democrática do Congo

13/04/2011
Incidentes levam MSF a suspender atividades médicas nas comunidades, deixando milhares de pessoas sem assistência

No domingo, dia 10 de abril, equipes de Médicos Sem Fronteiras (MSF) foram atacadas em diferentes áreas de Kivu Sul, na República Democrática do Congo (RDC). Em um dos incidentes, dois funcionários de MSF foram baleados. MSF está extremamente preocupada com a deterioração da segurança em Kivu Sul, e condena a violência cometida contra seus funcionários. Devido à falta de segurança e de respeito pelo trabalho humanitário, MSF decidiu suspender, por enquanto, suas atividades médicas nas comunidades nas regiões de Uvira, Plateaux e Shabunda.

No domingo de manhã, homens armados uniformizados atacaram dois carros de MSF que estavam a caminho de Marungu, próximo de Hauts Plateaux. Eles atiraram a esmo, assaltaram os motoristas e roubaram tudo que estava sendo transportado nos carros. De tarde, outro carro de MSF foi atacado por homens armados de uniforme na estrada entre Bukavu e Uvira, próximo a Kamanyola. Dois funcionários de MSF, um nacional e um internacional, foram feridos por tiros. Ambos receberam assistência médica a tempo, e a condição de saúde de ambos é estável, por enquanto.

"Após estes incidentes graves, nós decidimos suspender a atividades médicas que realizamos nas comunidades em Kivu Sul, por tempo indeterminado", disse Jean Marc Cordaro, diretor de operações de MSF. "É uma decisão difícil, porque causa impacto em pessoas da região que têm muito pouco acesso a cuidados médicos. Mas nós não podemos trabalhar sem o mínimo de segurança e sem respeito pelas equipes humanitárias". MSF continua a administrar suas atividades de emergência em hospitais.

MSF expressa sua preocupação com a deterioração da segurança na área e condena publicamente qualquer ato de violência contra trabalhadores humanitários. MSF reitera que, para continuar a oferecer cuidados médicos emergenciais necessários para a população de Kivu Sul, as instalações, os veículos e as equipes precisam ser respeitados por todos os envolvidos no conflito.

MSF oferece assistência a milhares de pessoas deslocadas devido ao conflito e residentes de Kivu Sul e responde a emergências. Equipes de MSF conseguiram chegar a muitas áreas isoladas de Kivu Sul, como Hauts Plateaux e Shabunda, onde pessoas têm acesso muito limitado à assistência médica. MSF também gerencia um projeto médico em Kalonge e um hospital em Baraka. Atualmente, MSF oferece assistência a mais de 30 mil pessoas por mês nos quatro projetos.

Leia mais sobre