Você está aqui

Equipes de MSF estão na região serrana

17/01/2011
Clínicas móveis oferecerão atendimento em São José do Vale do Rio Preto e Nova Friburgo

MSF está mobilizando duas equipes para realizar atendimentos médicos e de saúde mental em São José do Vale do Rio Preto e Nova Friburgo, cidades na região serrana do Rio de Janeiro atingidas pelas cheias que fizeram mais de 600 vítimas fatais na semana passada. Os profissionais que irão partir amanhã (18/1) se juntarão à equipe de avaliação que já está na área.

"Estamos acompanhando a situação desde terça-feira. Diante das informações que recebemos, enviamos uma equipe para visitar os hospitais das áreas e avaliar a situação dos sobreviventes",diz Tyler Fainstat, diretor executivo de Médicos Sem Fronteiras no Brasil.  

A avaliação resultará na instalação de duas clínicas móveis, que funcionarão com equipes formadas por um médico, uma psicóloga e um profissional de enfermagem.

Dificuldades - "Está chovendo continuamente e o acesso às áreas afetadas é muito difícil. Algumas estradas estão completamente obstruídas por enormes barreiras", disse o médico Sérgio Cabral, que participou da avaliação que definiu a estratégia de atuação de MSF. "Apesar da grande mobilização do público e de outras organizações para levarem assistência às vítimas das enchentes, a ajuda não é suficiente para cobrir todas as demandas, especialmente nas áreas mais remotas. Em São José do Vale do Rio Preto, por exemplo, a população ainda não recebeu ajuda e a maior parte das unidades de cuidados médicos não está funcionando. Encontramos também uma necessidade premente de saúde mental nas áreas afetadas, tanto para as vítimas como para as pessoas que estão trabalhando na catástrofe", completou.

Em Nova Friburgo, mais de 5 mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas Em São José do Vale do Rio Preto – a outra cidade onde MSF irá atuar – as chuvas afetaram mais de 10 mil pessoas de deixaram 1.200 desabrigadas ou desalojadas.