Você está aqui

Emergência nas Filipinas: MSF reunirá mais de 100 profissionais no país nos próximos dias

12/11/2013
Farmacêutico brasileiro fará parte da equipe de reforço que a organização está enviando ao país esta semana

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) vai ampliar a equipe que está, desde sábado, trabalhando no atendimento às vitimas do tufão Haiyan, nas Filipinas. Nos próximos dias, MSF terá mais de 100 profissionais de diversas nacionalidades em campo, incluindo médicos, enfermeiros, cirurgiões, logísticos, psicólogos e especialistas em água e saneamento. Oito aviões carregados suprimentos médicos, materiais para abrigo, kits de higiene equipamento de água e saneamento estão também a caminho do país. Se necessário, a organização enviará, também, um hospital inflável.

“A situação é catastrófica; é o caos total”, afirma a Dra. Natasha Reyes, coordenadora de emergência de MSF nas Filipinas. “O acesso é extremamente difícil e está impedindo a chegada da ajuda. Nossa prioridade é chegar às pessoas nas áreas mais isoladas, que são de mais difícil acesso e, frequentemente, as últimas a receber ajuda essencial.”

Os esforços para alcançar a cidade de Tacloban, na província de Leyte, estão tendo de ser redobrados, uma vez que as estradas estão bloqueadas por destroços. Fortes ventos e a chuva torrencial também resultaram em cancelamento de diversos voos ao aeroporto.

Com instalações de saúde danificadas ou destruídas e o equipamento médico levado pelas águas em meio à tempestade, muitos dos feridos em Tacloban se reuniram no aeroporto da cidade. Uma equipe de MSF vai providenciar cuidados médicos no aeroporto e prestar suporte ao hospital, que ainda está funcionando. As equipes também planejam viajar de barco e de helicóptero para as regiões do entorno, principalmente para as ilhas a oeste das cidades de Cebu e Guiuan, a leste, para oferecer ajuda médica urgente. Com as redes de comunicação inoperantes, há ainda poucas informações disponíveis sobre a dimensão dos danos em muitas regiões remotas e rurais.

Farmacêutico brasileiro a caminho das Filipinas
Guilherme Simão, que chegou recentemente da Síria, embarca para as Filipinas no dia 14/11, e deve permanecer no país por um mês. “Eu não tenho muitos detalhes sobre o que eu vou fazer, pois numa emergência é tudo muito rápido. Vou saber mesmo só quando chegar lá. Como farmacêutico de MSF, em qualquer contexto, meu trabalho é gerir o estoque da farmácia e garantir que as equipes tenham os medicamentos que precisam para atender os pacientes”, disse. “Eu, provavelmente, vou recepcionar o material, organizar o estoque da farmácia e despachar os medicamentos e suprimentos para as diferentes frentes de ação da organização no país.”

Leia mais sobre