Você está aqui

El Salvador não é um país seguro para refugiados ou solicitantes de asilo

25/09/2019
MSF lamenta o acordo entre EUA e El Salvador que coloca em risco a vida daqueles que fogem da violência
El Salvador não é um país seguro para refugiados ou solicitantes de asilo

Foto: Christina Simons/MSF

El Salvador, um dos países mais violentos do mundo, não é um local seguro para solicitantes de asilo recusados nos Estados Unidos, afirmou hoje a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF), após um acordo recentemente anunciado entre os dois governos.

Atualmente El Salvador não tem capacidade para proteger vítimas de violência, servir como país de acolhimento e oferecer proteções básicas a solicitantes de asilo ou pessoas deportadas dos Estados Unidos (EUA), disse MSF.

"El Salvador não pode garantir a segurança de seus próprios cidadãos", disse Stéphane Foulon, coordenador-geral de MSF em El Salvador, onde MSF mantém programas médicos desde 2017. “Nossas equipes médicas aqui veem a violência diária sofrida por pessoas que vivem nos bairros onde trabalhamos. A violência em El Salvador força as pessoas a fugir para o norte. São pessoas que fogem para salvar suas vidas, deixando El Salvador e atravessando o México rumo aos EUA. Até o governo dos EUA considera El Salvador um país perigoso e desencoraja seus próprios cidadãos a viajarem para lá. ”

As equipes de MSF em El Salvador já observam a falta de capacidade para apoiar um número crescente de pessoas deportadas dos EUA no último ano, disse Foulon.

O acordo é parte de um esforço mais amplo dos EUA para transferir suas responsabilidades de asilo e proteção aos governos da região. O acordo entre os EUA e El Salvador, e acordos anteriores com Guatemala e Honduras, pressupõem que esses países possam oferecer refúgio e proteção aos solicitantes de asilo.

“Esses acordos apenas criarão mais sofrimento para as pessoas que fugiram da violência em seus países de origem e que sofrem ainda mais ao longo da rota migratória que cruza o México.  Agora, provavelmente, sofrerão ainda mais em El Salvador ”, disse Foulon.   

Pessoas de El Salvador, juntamente com hondurenhos e guatemaltecos, compõem a maioria dos pacientes que as equipes de MSF tratam na rede de abrigos pela qual os migrantes passam enquanto atravessam o México a caminho dos EUA. 

"É absurdo pensar que o país de onde milhares de pessoas estão escapando por causa de violência extrema seria um local aceitável de refúgio", disse Sergio Martín, coordenador-geral de MSF no México. “Se as pessoas são obrigadas a fugir, nenhum desses acordos as impedirá. Não há acordo ou muro que possa detê-las. Esses acordos apenas ajudam os traficantes, porque obriga os migrantes e solicitantes de asilo a tomarem rotas cada vez mais perigosas. Isso as torna mais vulneráveis à violência e extorsão. ” 

As equipes de MSF em El Salvador prestaram apoio de saúde mental a 1.434 pessoas até agora este ano. Dessas pessoas, 57% foram vítimas de violência ou sofreram perdas relacionadas à violência. Em Tegucigalpa, Honduras, MSF tratou 1.983 sobreviventes de violência sexual e 2.482 vítimas de outras formas de violência entre janeiro de 2016 e agosto de 2019.  

As equipes de MSF no México continuam a prestar assistência médica aos migrantes desses países. Até agora, este ano, 88% de nossos pacientes de saúde mental foram vítimas de violência. Eles precisam de atenção médica e acesso a mecanismos de proteção em países que realmente têm capacidade de garantir sua segurança. Guatemala, Honduras e El Salvador não são países seguros para pessoas que fogem da violência.

 

MSF trabalha em El Salvador desde 2017. A organização mantém clínicas móveis em diferentes bairros de San Salvador e Soyapango, ajudando pessoas incapazes de circular livremente para fora de seus bairros devido à violência de gangues e que enfrentam dificuldades para acessar cuidados médicos. MSF também apoia o sistema de ambulâncias em Soyapango e recentemente começou a prestar assistência a deslocados internos e deportados. No México, MSF oferece assistência médica e de saúde mental em abrigos em Tapachula, Tenosique, Coatzacoalcos, Cidade do México, Nuevo Laredo, Mexicali, Reynosa e Matamoros. MSF trabalha em Honduras desde 1974. Nossas equipes oferecem atendimento médico, psicológico e psicossocial às pessoas afetadas por violência e violência sexual em Choloma e Tegucigalpa.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar