Você está aqui

Ebola: profissional norueguês de MSF é infectado em Serra Leoa

06/10/2014
“Apesar de protocolos de proteção extremamente rígidos, o risco, infelizmente, é parte de uma intervenção como esta, e, lamentavelmente, nossas equipes não são poupadas”

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) confirma que um de seus profissionais internacionais em Serra Leoa foi diagnosticado com a febre hemorrágica Ebola.

O profissional, natural da Noruega e membro da equipe da cidade de Bo, foi isolado no domingo, dia 5 de outubro, depois de apresentar febre. Testes de laboratório confirmaram a infecção por Ebola.

Após os procedimentos de evacuação médica de MSF, o profissional será, em breve, transferido para um centro de tratamento especializado na Europa.

“Profissionais que são enviados às regiões afetadas pelo Ebola seguem rígidos procedimentos de segurança, durante e depois da realização de suas atividades”, conta Brice de le Vingne, diretor de operações de MSF. “Apesar de protocolos de proteção extremamente rígidos, o risco, infelizmente, é parte de uma intervenção como esta, e, lamentavelmente, nossas equipes não são poupadas.”

As circunstâncias nas quais se deu a contaminação ainda não foram determinadas. MSF está conduzindo uma investigação, em acordo com procedimentos padrão para ocorrências como esta.

Por questões de confidencialidade médica, e para preservar a privacidade do profissional e de seus familiares, MSF não vai tecer quaisquer comentários adicionais neste momento.

Desde março de 2014, MSF está respondendo à epidemia de Ebola na África Ocidental. Aproximadamente 3 mil profissionais da organização estão trabalhando na região, incluindo cerca de 250 profissionais internacionais.