Você está aqui

Dois profissionais de MSF são seqüestrados em Ituri, República Democrática do Congo

03/06/2005
Testemunhas viram os dois profissionais serem retirados do carro onde viajavam – claramente identificado com a logo de MSF – e levados para uma mata próxima. MSF exige a libertação imediata e incondicional dos dois profissionais

Desde a tarde do dia 2 de junho de 2005, MSF perdeu o contato com dois profissionais que viajavam por terra num veículo da organização, claramente identificado, em direção ao campo de deslocados internos de Jina, situado 35 km ao norte de Búnia, capital do distrito de Ituri, na República Democrática do Congo (RDC).

Testemunhas informaram que viram o carro ser parado por homens armados e os dois profissionais de MSF serem retirados do veículo antes de serem levados pelos seqüestradores para uma mata próxima do local.

MSF condena este ato ainda inexplicável e exige a libertação imediata e incondicional dos dois profissionais. A organização humanitária internacional e independente, que realiza atividades emergenciais de saúde na região há quatro meses, oferecendo assistência às populações deslocadas da região de Djugu, apela para que seus dois profissionais sejam tratados com respeito e dignidade.

Os profissionais de MSF levam ajuda humanitária imparcial a vítimas de conflito e mantém completa independência de poderes político, econômico ou religioso.

Desde junho de 2003, profissionais de MSF vêm trabalhando no distrito de Ituri - localizado no nordeste da RDC. São 37 profissionais estrangeiros e mais de 600 profissionais locais oferecendo cuidados de saúde à população num hospital localizado em Búnia e por meio de clínicas móveis.

Equipe de MSF se empenha para oferecer ajuda humanitária a milhares de pessoas deslocadas da província afetadas por conflitos intensos entre milícias rivais que afetam fortemente a região.

Leia mais sobre