Você está aqui

Crise alimentar piora no norte do Afeganistão

20/10/2002
Crise alimentar piora no norte do Afeganistão

Uma recente inspeção de MSF no vale de Karai, na província de Faryab, mostra que entre sete crianças, uma está subnutrida. A triagem nutricional de 2.706 crianças mostrou que 4.5% sofrem desnutrição severa e 10.4% têm desnutrição moderada. Ao mesmo tempo, Médicos Sem Fronteiras (MSF) percebeu um aumento significativo no número de crianças severamente subnutridas chegando aos centros de alimentação da província de Faryab. Este é um sinal alarmante de uma deteriorante crise de nutrição.

Uma pesquisa nutricional de MSF feita em agosto já mostrou uma taxa de desnutrição total de 10%. Desde então a situação só piorou. Uma recente pesquisa, feita em separado, mostrou que a taxa de mortalidade dobrou. Ela também indicou que, em média, as famílias só têm trigo por mais cinco dias e que apenas 23% delas receberam comida durante a última distribuição.

A situação humanitária em áreas remotas está piorando rapidamente já que a qualidade da distribuição geral de comida atual é insuficiente e não alcança as populações mais vulneráveis. O sul de província de Faryab é uma das áreas mais afetadas depois de vários anos de seca. De acordo com uma avaliação Programa de Alimentação Mundial (PAM), a população só consegue ter menos que a metade da quantidade de comida exigida.

“Subestimar a crise alimentar atual é extremamente perigoso”, diz o chefe de missão de MSF em Mazar-e-Shariff, Malik Allaouna. “O único modo para prevenir uma degradação ainda maior da situação é aumentar o volume e a qualidade da comida que é provida às áreas mais afetadas, e salvaguardar a distribuição entre as famílias mais vulneráveis.”

As províncias do norte e do oeste do Afeganistão estão severamente afetadas pela seca. Particularmente nas remotas regiões montanhosas, onde a agricultura depende da queda de chuva e onde uma grande quantidade do gado morreu, a população esgotou seus mecanismos de sobrevivência e se alimentou principalmente à base de pão e chá. A região assistiu ainda a um surto de escorbuto no inverno passado e pelo menos três novos casos já foram descobertos no distrito de Qeysar nas primeiras semanas deste ano.

No ano passado, MSF abriu cinco centros de alimentação no norte do Afeganistão. No entanto, devido ao aumento da deterioração da situação nutricional, foram abertos mais quatro centros recentemente. Mas segurança alimentar na região só poderá melhorar se houver uma suficiente e bem equilibrada distribuição de comida para todas as famílias vulneráveis.

A distribuição emergencial de comida por MSF começará no vale de Karai, província de Faryab, mas equipes de avaliação que estão presentes na região acreditam encontrar mais aldeias onde a situação nutricional é crítica.

Leia mais sobre