Você está aqui

Costa do Marfim: número alarmante de feridos no oeste do país

02/04/2011
População têm medo de buscar até comida

A situação continua extremamente tensa e violenta em diversas cidades no oeste da Costa do Marfim. Muitas pessoas com ferimentos causados por armas de fogo ou facões chegaram aos hospitais nas cidades de Danané, Man e Bangolo. Equipes cirúrgicas de MSF em Bangolo estão dando assistência ao hospital da cidade.

"O número de vítimas é extremamente preocupante, e mostra que a violência continua na área”, disse Renzo Fricke, coordenador de emergência de MSF. “As tensões estão muito altas.”

No dia 1° de abril, 20 feridos que precisavam de cirurgia foram transportados ao hospital em Bangolo, onde dez pessoas ainda aguardavam para ser operadas naquele dia.

O acesso aos cuidados de saúde está sob ameaça devido aos conflitos, e a violência na região forçou milhares de pessoas a fugirem de diversas localidades no oeste. Muitos fugiram da cidade de Blolequin para Zouian-Hounien.

Enquanto isso, mais de 15 mil pessoas deslocadas permanecem sob os cuidados da missão católica na cidade de Duékoué.

“Estas pessoas estão aterrorizadas, e lhes falta tudo, inclusive comida”, disse Fricke. Eles temem por suas vidas se deixarem os limites da missão católica em busca de alimentos”.

Equipes médicas de MSF que estão trabalhando no complexo da missão trataram 240 pessoas desde 29 de março; 14 delas foram enviadas ao hospital de Bangolo para cirurgia.

Junto com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, MSF é a única organização internacional que oferece cuidados médicos a feridos no oeste da Costa do Marfim, atendendo outras emergências médicas e tentando trazer cuidados médicos a outras pessoas afetadas pela violência e pelos deslocamentos.

A equipe de MSF no hospital de Bangolo tratou 121 pacientes desde 28 de março. Além disso, 45 pessoas receberam tratamentos de emergência no hospital da cidade de Man, e 29 no hospital de Danané, onde MSF doou equipamentos médicos e remédios para ajudar as equipes a responder às chegadas em massa. Equipes de MSF trabalhando em clínicas móveis e centros de saúde fixos no oeste do país tratam mais de 500 pacientes por dia.

Em Abidjan, as pessoas enfrentam enormes dificuldades para acessar tratamentos médicos em meio aos confrontos. A equipe de MSF na região de Abobo continua a tratar as pessoas que conseguem chegar lá. Trinta e sete feridos receberam tratamento no dia 1° de abril, dentre as quais 30 pessoas com ferimentos causados por armas de fogo.

Quinze pessoas feridas chegaram na sexta-feira (1/4) no hospital da capital Yamoussoukro, apoiado por MSF.

Instalações médicas na Costa do Marfim não podem mais oferecer remédios e estão sofrendo com a falta de equipamentos médicos básicos. Equipes de MSF doam suprimentos quando as condições de segurança permitem. As necessidades são imensas e há uma grande preocupação com as pessoas que não podem receber tratamento.

MSF é uma organização médico-humanitária imparcial, completamente neutra em suas operações. Suas atividades na Costa do Marfim são financiadas exclusivamente por doadores privados, garantindo sua total independência.

Leia mais sobre