Você está aqui

Conexões MSF 2019: ligar a ajuda humanitária à sociedade civil em Portugal

27/09/2019
Entre 5 de outubro e 11 de novembro, a Médicos Sem Fronteiras leva à cidade do Porto um multievento com exposições e debates
Conexões MSF 2019: ligar a ajuda humanitária à sociedade civil em Portugal

A Médicos Sem Fronteiras (MSF) leva este ano de 2019 ao Porto, entre 5 de outubro e 11 de novembro, o multievento CONEXÕES, uma iniciativa que visa reforçar os laços da sociedade civil portuguesa com a ajuda humanitária que a organização de emergência médica internacional presta atualmente em 74 países.

Esta mostra emblemática da MSF assenta em quatro eixos principais de eventos: uma exposição fotográfica e de vídeo, exibição de documentário, debates e uma sessão de informação e recrutamento de profissionais MSF. Todos os eventos do CONEXÕES 2019 Porto são de entrada gratuita.

Presente em 74 países com o total de 446 projetos de ajuda humanitária, a MSF fez, em 2018, mais de 11,2 milhões de consultas ambulatórias e assistiu mais de 758 mil pacientes hospitalizados. Com já quase 50 anos de experiência em cuidados médicos de emergência em campo, a organização testemunha em primeira mão os contextos em que os seus projetos estão localizados, assumindo também um papel de consciencialização e de sensibilização da opinião pública para a vivência das populações junto das quais desenvolve o seu trabalho.

Em janeiro de 2019, a MSF abriu representação permanente em Portugal, com especial enfoque no recrutamento de profissionais capacitados, em particular na área da saúde, administração e logística, para integrarem as equipas dos projectos desenvolvidos em diversas partes do mundo, salvando vidas e aliviando o sofrimento de pessoas que se encontram em contextos de crise e em condições de vulnerabilidade.


PROGRAMAÇÃO

5 de outubro a 8 de novembro | Exposição "Da Ação À Palavra"

Uma mostra visual da história MSF e do trabalho de assistência médica humanitária prestada em diversas partes do mundo. Das nossas origens na guerra do Biafra aos contextos de violência na Etiópia, Somália, Ruanda, Bósnia, Tchetchénia ou Iémen, e também em desastres naturais como no terramoto no Haiti, até à atual crise no mar Mediterrâneo.

Local: Centro de Congressos da Alfândega do Porto, Galeria Júlio Resende, Rua Nova da Alfândega, Edifício da Alfândega, Porto
Inauguração: 5 de outubro às 18h
Todos os dias úteis de 6 de outubro a 8 de novembro, 10h às 19h; aos fins-de-semana das 15h às 19h.


12 de outubro | Mesa-redonda “Diálogos Sem Fronteiras”

Com enfoque particular nos fluxos migratórios e na assistência humanitária prestada pela MSF a pessoas refugiadas, migrantes e requerentes de asilo, desde as operações de buscas e salvamento no mar Mediterrâneo ao projeto de assistência a cidadãos venezuelanos em Roraima, no Brasil, esta mesa-redonda conta com a participação de Ana de Lemos, diretora-geral MSF-Brasil, de João Antunes, representante MSF-Portugal, e do jornalista João Fernando Ramos.

Local: Centro de Congressos da Alfândega do Porto, Rua Nova da Alfândega, Edifício da Alfândega, Porto
12 de outubro às 17h


24 de outubro | Sessão de informação e recrutamento MSF

Quer trabalhar com Médicos Sem Fronteiras, mas não sabe como funcionam os processos de recrutamento? Quer descobrir como é a vivência num projeto no terreno, ouvindo as experiências de profissionais MSF em primeira mão? Um dos atrativos do CONEXÕES é justamente esta oportunidade de conversar com profissionais da organização médica humanitária internacional.
Local: Centro de Congressos da Alfândega do Porto, Rua Nova da Alfândega, Edifício da Alfândega, Porto
24 de outubro às 17h30


11 de novembro | Documentário "Affliction - O ébola na África Ocidental"

Segue-se à exibição do documentário uma conversa aberta com os profissionais portugueses MSF Cecília Hirata (médica) e Luís Medina (logístico), recém-chegados de missão no combate ao ébola na República Democrática do Congo.
Filmado durante a maior epidemia de ébola na África Ocidental, "Affliction" mostra diferentes aspetos do surto nos três países que foram então mais afetados: Serra Leoa, Guiné e Libéria. Chefes de aldeia, pacientes, sobreviventes e trabalhadores humanitários falam sobre o medo, a rejeição, o estigma, o impacto da quarentena, a mortalidade, as falhas na resposta da comunidade internacional e a falta de tratamento médico adequado para o ébola. A equipa de filmagem teve acesso ilimitado às instalações da Médicos Sem Fronteiras no terreno. Realizaçao: Peter Casaer. Duração: 52’. Classificação: 14 anos.

Local: Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Rua Jorge de Viterbo Ferreira, 228, Porto
11 de novembro às 18h30

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar