Você está aqui

Cólera se espalha por acampamentos de deslocados no estado de Borno, no nordeste da Nigéria

17/09/2015
Em colaboração com autoridades de saúde do estado de Borno, MSF está oferecendo serviços emergenciais médicos e logísticos, e, novamente, faz um apelo por apoio de outras organizações humanitárias

Foto: MSF

Os primeiros casos de cólera apareceram há um mês no campo de deslocados internos de Maiduguri, na capital do estado de Borno, que abriga mais de 1,6 milhão de pessoas deslocadas. Em mais de três semanas, a doença se espalhou para outros dois acampamentos de deslocados da cidade. Os dados oficiais do dia 16 de setembro registraram 172 casos de cólera e 16 mortes relacionadas com a doença.   

Em colaboração com as autoridades de saúde do estado de Borno, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF), que atua com populações deslocadas em Maiduguri desde maio de 2014, está oferecendo serviços emergenciais médicos e logísticos para combater a epidemia. De 10 a 15 de setembro, 187 pacientes, 64% deles casos graves, foram admitidos em nosso centro de tratamento (e isolamento) de cólera (CTC), que tem capacidade para 100 leitos. Somente no dia 13 de setembro, foram admitidos 50 pacientes no centro. Os casos menos graves foram tratados em nossas instalações ambulatoriais de reidratação oral.  

Paralelamente à prestação de cuidados médicos, no fim de agosto, MSF concentrou esforços para melhorar as condições de higiene e de saneamento no acampamento onde apareceram os primeiros casos de cólera por meio da cloração de fontes de água, do oferecimento de solução cloral para lavar as mãos, da desinfecção de casas quando um caso é identificado, etc. Desde então, nossas equipes especializadas têm trabalhado no segundo acampamento afetado, onde identificaram uma fonte de água contaminada. Em meados de setembro, MSF lançou o mesmo tipo de operação no terceiro acampamento afetado.

“Mais uma vez, MSF e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) se encontram sozinhos em campo. Nenhuma outra organização internacional esteve aqui durante as situações emergenciais no estado de Borno e, mais especificamente, na região de Maiduguri, local onde está abrigada a vasta maioria das pessoas deslocadas pelo conflito de longos anos entre o exército nigeriano e o grupo Boko Haram¹”, diz Ghada Hatim, coordenadora-geral de MSF na Nigéria.

“Em setembro de 2014, MSF tratou mais de quatro mil pacientes após a eclosão de uma epidemia de cólera no estado de Borno. As condições de vida e de higiene nos acampamentos eram e continuam propensas a ocorrências desse tipo de epidemia. Precisamos de mais apoio. Nós temos pedido repetidamente que outras organizações humanitárias também prestem assistência às pessoas deslocadas no estado de Borno e estamos novamente fazendo esse apelo, que permanece não respondido", completa Chibuzo Okonta, coordenador dos projetos de emergência de MSF em Paris.

Leia mais sobre