Você está aqui

Cisjordânia: MSF oferece assistência a vítimas da violência

19/04/2012
O conflito na região tem graves consequências tanto para israelenses quanto para palestinos; episódios de violência são recorrentes

Após o assassinato de cinco membros de uma família de colonos em um assentamento israelense localizado a cinco quilômetros de Nablus e as retaliações do Exército de Israel contra os habitantes de aldeias locais, o clima na Cisjordânia continua tenso.  A violência entre colonos e a população civil da Palestina vem aumentando visivelmente desde setembro de 2011.

Nos últimos meses, uma série de violentas ações por parte dos colonos assentados – que vão desde ameaças até ataques diretos aos moradores – foram registrados nos distritos de Nablus, Qalqilya e Hebron. As propriedades e casas de alguns palestinos foram danificadas ou tomadas, e muitos foram vítimas de agressões físicas e perseguições. Além disso, o acesso a áreas rurais foi bloqueado.

Em Qalqilya, a situação entre os colonos e a população palestina é especialmente violenta. As prisões de palestinos, conduzidas pelas Forças de Defesa Israelenses, estão estabilizadas. No entanto, houve um aumento significativo do número de prisões realizadas pela Autoridade Nacional Palestina – foram mais de 390 presos em setembro e outubro do ano passado apenas nesse distrito.

MSF está presente na Cisjordânia desde 2000, e tem programas de assistência médica, psicológica e social em Nablus, Qalqilya, Hebron e em Jerusalém Oriental. A organização oferece cuidados médicos para vítimas diretas e indiretas do conflito, focando em pacientes que sofrem de estresse agudo, distúrbios de ansiedade, síndromes pós-traumáticas, depressão, e outras questões relacionadas aos episódios de violência envolvendo colonos israelenses e o exército de Israel, bem como aos conflitos internos na Palestina.

Leia mais sobre