Você está aqui

China: MSF distribuiu 210 toneladas de suprimentos emergenciais

19/05/2008
Organização está trabalhando em colaboração com a Cruz Vermelha do país e outras autoridades locais para avaliar as necessidades das vítimas do terremoto

Uma semana após o terremoto de magnitude 7,9 matar 32 mil pessoas e deixar outras 4,8 milhões desabrigadas na Província de Sichuan, no sudoeste da China, Médicos Sem Fronteiras (MSF) conseguiu distribuir 210 toneladas de suprimentos emergenciais, além de assistência médica, para os sobreviventes. As equipes de MSF começaram a trabalhar com a Cruz Vermelha chinesa e outras autoridades locais para avaliar as necessidades adicionais nas áreas afetadas que são extremamente povoadas e cobrem uma região do tamanho da França.

Equipes de MSF realizaram levantamentos durante todo o fim de semana, uma vez que as estradas foram desbloqueadas e gradualmente o acesso às áreas próximas ao epicentro do terremoto tem aumentado. As necessidades básicas como alimentos, água e abrigo estão sendo atendidas, apesar de ainda haver necessidade de atendimento médico especializado e equipamentos, uma vez que os hospitais da região foram muito afetados e muitos não têm como funcionar.

Com a distribuição e o apoio logístico da Cruz Vermelha de Chengdu, MSF doou agora 1.750 tendas para famílias como parte de sua ação emergencial e planeja distribuir outras 2 mil nesta semana.

Uma equipe de MSF, que inclui um cirurgião ortopedista e um médico, está ajudando na triagem do centro da cidade de Guanghan, na municipalidade de Deyang. O hospital lá está tratando pacientes com ferimentos graves da cidade de Shifeng, Mianzhu e Beichuan, que foram extremamente afetadas pelo terremoto. Além disso, MSF doou remédios e suprimentos médicos para esse hospital.

MSF também visitou vários locais em Guanghan, onde as pessoas que perderam suas casas foram procurar refúgio temporariamente. As necessidades básicas estão sendo amplamente atendidas pelo governo e pela população local.

MSF também visitou e forneceu material médico e tendas para dois hospitais em Hanwang, na cidade de Mianzhu, localizada a cerca de 60 quilômetros ao leste do epicentro. Ambos hospitais sofreram sérios danos estruturais por conta do terremoto e todas as atividades médicas agora estão sendo realizadas a céu aberto, em áreas próximas ao hospital. A equipe dos hospitais – cuja maioria foi afetada diretamente pelo abalo – está exausta.

Durante o fim de semana, MSF doou 20 tendas grandes para pacientes e clínicas para cada um dos hospitais e está explorando a possibilidade de oferecer apoio adicional.

Uma equipe de dois nefrologistas da Universidade de Ghent, na Bélgica, especialistas na 'Síndrome do Esmagamento', está trabalhando em colaboração com MSF, oferecendo sua expertise no tratamento do problema em três dos maiores hospitais com capacidade para atender traumas na capital da Província de Chengdu, para onde muitas vítimas foram levadas. Eles também estão compartilhando sua experiência com diagnóstico e tratamentos da condição em um hospital de Guanghan.

A 'Síndrome do Esmagamento' é uma condição que ocorre quando o tecido muscular é danificado por vários ferimentos internos e começa a liberar quantidades maciças de toxinas na corrente sangüínea, provocando a falência dos rins. Se não for tratada, a doença pode ser fatal.

Um psicólogo de MSF, com experiência em saúde mental após eventos traumáticos, está compartilhando sua expertise no Hospital Huaxi de Chengdy, que é centro de referência e treinamento para a região da saúde mental. Ele está mobilizando e treinando centenas de estudantes para ajudar a oferecer assistência de saúde mental para os sobreviventes do terremoto.

Essa semana, equipes de MSF vão continuar a analisar as necessidades na região afetada e a oferecer assistência onde for apropriado. Atualmente, MSF tem 23 profissionais trabalhando nas áreas afetadas pelo terremoto.

MSF trabalha na China desde 1988. No momento do terremoto, as equipes estavam trabalhando em Nanning, na Região Autônoma de Guangxi Zhuang, onde a organização mantém um programa de tratamento de HIV/Aids. No início de 2008, MSF repassou os programas de HIV/Aids em Xiangfan, Província de Hubei, para as autoridades chinesas.