Você está aqui

Aumenta a desnutrição no campo de refugiados de Mazlakh, Afeganistão

06/02/2002
Aumenta a desnutrição no campo de refugiados de Mazlakh, Afeganistão

Uma pesquisa nutricional administrada pela organização internacional da área de saúde Médicos Sem Fronteiras (MSF) no campo de Mazlakh, próxima à cidade de Herat, mostra um forte aumento da desnutrição entre milhares de afegãos deslocados para o interior que estão vivendo no campo.

A pesquisa, produzida com uma amostra representativa de 1.869 crianças do acampamento, apresenta uma taxa de desnutrição de 26,4% e uma desnutrição aguda de 6,6%. Estes resultados mostram uma elevação inaceitável comparada à desnutrição global de menos que 10% entre recém-chegados que procuram ajuda humanitária em Mazlakh.

“Aqui você tem a situação absurda em que quanto mais tempo as pessoas ficam no campo, mais subnutridas elas ficam”, disse Stefano Savi, chefe de missão do projeto de MSF em Herat. “Está claro que estar em Mazlakh significa um sério risco de desnutrição e conseqüentemente de doença e morte.”

O acampamento abriga aproximadamente 160 mil pessoas que fogem da seca e da insegurança. Uma vez que uma quantidade de comida suficiente para até 300 mil pessoas vem sendo distribuída para o acampamento, os resultados da pesquisa demonstram que o acesso desigual à comida é a causa subjacente da crescente desnutrição. O crime, a corrupção e as tensões étnicas dentro do acampamento resultam em uma distribuição de comida ineficaz, além de fazer com que grande parte da população tenha medo de buscar qualquer tipo de ajuda.

Esta é a razão principal pela qual apenas 80 crianças são assistidas nos centros de alimentação especiais de MSF, que tem uma capacidade para tratar até 200 crianças. Baseado nesta recente pesquisa com 1.869 crianças, centenas responderiam aos critérios para admissão nesses centros. Mas os esforços de reorganização do campo pelas partes envolvidas ainda precisa ser melhorado para que a situação fique sob controle.

“Todos estes fatores ainda fazem com que seja realmente difícil para nós alcançarmos a vasta maioria da população subnutrida que precisa desesperadamente de ajuda”, conclui Savi.

Os deslocados fugiram de suas casas buscando proteção e ajuda. A comunidade internacional está lutando para ajudar os mais necessitados. MSF demanda que a Organização Internacional de Migração (IOM), agências da ONU e as autoridades locais redobrem seus esforços para instalar sistemas efetivos de ajuda à população de Mazlakh. Com o alarmante crescimento do número de pessoas subnutridas, o foco deveria estar primeiramente em resolver os problemas de proteção dentro do acampamento para possibilitar a instalação de um sistema de distribuição alimentar pleno que atinja toda sua a população.

O exemplo de Mazlakh mostra claramente que apesar do otimismo internacional e dos milhões de dólares em ajuda prometidos para a reconstrução do Afeganistão, as pessoas ainda estão enfrentando problemas enormes em termos de necessidades humanitárias imediatas. A resposta da ajuda internacional precisa se preocupar em satisfazer estas necessidades imediatas de modo a possibilitar a reedificação e reconstrução do país.