Você está aqui

Atendimento abrangente contra a COVID-19 no México, Honduras e El Salvador

03/10/2020
MSF oferece uma gama de serviços médicos e logísticos para atender populações vulneráveis
Atendimento abrangente contra a COVID-19 no México, Honduras e El Salvador

Foto: MSF

Apesar da diminuição no número de casos de COVID-19 no México, em Honduras e El Salvador, equipes de MSF continuam atendendo às necessidades regulares de pessoas excluídas dos sistemas de saúde, como migrantes, solicitantes de asilo e vítimas de violência, já que muitas de suas necessidades foram aprofundadas com a pandemia. Atuamos por meio de clínicas móveis, apoio a abrigos e hospitais, bem como na gestão de unidades de saúde e ambulâncias dedicadas contra a COVID-19.

Confira abaixo, cinco destaques da atuação de MSF nos três países:

1 - Equipes móveis

Uma equipe móvel de MSF dedicada a combater a COVID-19 está trabalhando em diferentes partes do México para verificar as necessidades de protocolos de biossegurança (controle e prevenção de infecções e gestão de água e saneamento) em hospitais, hospitais comunitários e centros de saúde. O objetivo é apoiá-los na implementação destes protocolos para garantir a segurança de profissionais de saúde e pacientes. A equipe esteve na Cidade do México, Guerrero, Oaxaca e agora está trabalhando em Tabasco.

Em El Salvador, os serviços de ambulância de MSF continuam operando para aliviar o aumento do número de chamadas para o sistema de emergência do sistema de saúde local, que se dedica ao transporte de pacientes com COVID-19. MSF também continua com clínicas móveis nas comunidades afetadas pela violência em San Salvador e Soyapango, e com atividades de promoção da saúde e de saúde mental em um centro de isolamento dedicado exclusivamente para deportados do México e dos Estados Unidos.

2 – Unidades de saúde para COVID-19

Em Matamoros e Reynosa, na fronteira norte do México, MSF opera dois centros para COVID-19, instalados na universidade estadual, para pacientes com sintomas leves a graves. Ambos os centros têm capacidade para 20 pacientes com necessidades de oxigênio (pacientes graves), além de uma zona de isolamento para pacientes leves e suspeitos, que não têm um local onde se isolar. Esses pacientes podem ser migrantes, repatriados, sem-teto ou pessoas que não têm espaço suficiente em suas casas para se isolar de suas famílias. Nas instalações, há um sistema de saúde integral em que os pacientes, além de receberem atendimento médico, têm cuidados psicossociais.

Em Tegucigalpa (Honduras), MSF iniciou uma intervenção para pacientes graves com COVID-19 nas instalações esportivas da Universidade Nacional, adaptadas para uma clínica, com o objetivo de evitar a superlotação do sistema metropolitano de saúde. O atendimento é abrangente, também incluindo saúde mental.

3 – Apoio a abrigos para migrantes

Solicitantes de asilo e migrantes enfrentam uma situação mais séria em relação à COVID-19. Geralmente vivem em locais com pouco espaço e sem as condições ideais de higiene. Também sofrem com a incerteza e a estigmatização. Por conta disso, MSF continua sua intervenção em Nuevo Laredo, no México, avaliando e implementando ações de controle e prevenção de infecções em todos os abrigos para migrantes onde vivem mais de 200 pessoas. São fornecidos serviços de atenção primária à saúde e apoio psicossocial para a equipe do abrigo e, às vezes, também para membros de comunidades próximas.

Em Reynosa e Matamoros, MSF atua com uma clínica móvel que oferece cuidados de saúde abrangentes (médicos, promoção da saúde, saúde mental e serviço social) nos abrigos para migrantes e solicitantes de asilo. As equipes adaptaram suas atividades, realizando triagens para detectar possíveis casos de COVID-19 e encaminhá-los aos centros dedicados à doença de MSF ou de outras instituições, se necessário.

Na fronteira sul, em Tenosique (Tabasco), com base no abrigo “La 72”, MSF continua oferecendo cuidados básicos de saúde abrangentes (apoio médico e psicológico) para migrantes. Além disso, MSF implementou medidas de prevenção e controle de infecções em 15 abrigos para migrantes da Cidade do México.

4 – Atenção especial à rota migratória

Uma equipe multidisciplinar de combate à COVID-19 foi formada para o projeto de atendimento nas rotas de migração no México. É composta por promotor de saúde, psicólogo, especialistas em logística, água e saneamento e em prevenção e controle de infecções.
Em Matamoros, MSF continua atendendo solicitantes de asilo em um campo improvisado, com mais de 1.500 pessoas, que foi estabelecido a partir dos Protocolos de Proteção da Migração (MPP), enquanto as pessoas aguardam as suas audiências para pedir asilo nos Estados Unidos.

5 – Apoio via telefone

Uma linha telefônica e um número do WhatsApp foram criados para psicólogos de MSF fornecerem atendimento psicossocial remoto a migrantes e refugiados em todo o México e também para a população isolada pela violência no estado de Guerrero.
Em Tegucigalpa e Choloma, em Honduras, existem duas linhas telefônicas de saúde mental para as sobreviventes de violência e violência sexual, já que neste momento houve um aumento da busca por consultas de saúde mental com nossos psicólogos.

 

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar