Você está aqui

Ataques aéreos na Líbia matam dezenas de migrantes e refugiados

03/07/2019
Prince Alfani, coordenador-médico de MSF, pede a liberação imediata de pessoas detidas arbitrariamente

“Os ataques aéreos de ontem à noite ao centro de detenção de Tajoura que mataram dezenas de migrantes e refugiados, como foi reportado, é uma tragédia terrível que poderia ter sido facilmente evitada.

Havia mais de 600 homens, mulheres e crianças vulneráveis presos no centro de detenção de Tajoura no momento do ataque. Nossas equipes visitaram o centro ontem e viram 126 pessoas na cela que foi atingida.

Aqueles que sobreviveram temem por suas vidas.

Esta não é a primeira vez que migrantes e refugiados são pegos no fogo-cruzado do conflito em Trípoli, com múltiplos ataques aéreos em ou perto dos centros de detenção na cidade desde que o conflito começou no início de abril. Apenas oito semanas atrás, no centro de detenção de Tajoura, estilhaços de uma explosão atravessaram o teto do galpão das mulheres e quase atingiram um bebê.

A realidade é que, hoje, para cada pessoa evacuada ou reassentada este ano, mais do que o dobro foram devolvidas a força para a Líbia pela Guarda Costeira líbia, apoiada pela União Europeia.

O que é necessário agora não é uma condenação vazia, mas a evacuação urgente e imediata de todos os refugiados e migrantes mantidos em centros de detenção para fora da Líbia. Hoje, a inação e a complacência custaram desnecessariamente as vidas de mais refugiados e migrantes vulneráveis.”

- Prince Alfani, coordenador-médico de MSF na Líbia

 

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar