Você está aqui

Ataque no Sul do Sudão provoca morte de 42 pessoas

04/09/2009
Ondas de violência no Estado de Jonglei provocaram o deslocamento de cerca de 24 mil pessoas de 27 vilarejos

No dia 29 de agosto deste ano, um violento ataque no Condado de Twic East County, Estado Jonglei, no sul do Sudão provocou a morte de 42 pessoas, muitas delas mulheres e crianças. Mais de 60 pessoas ficaram feridas e números oficiais indicam que até 24 mil pessoas de 27 vilas tiveram de deixar suas casas, provocando a maior concentração de pessoas em Panyangor e Kongor.

O ataque mais recente é apenas mais um de uma série dos chamados conflitos étnicos registrados em Jonglei, Estdos de Upper Nile e Lake, que, de acordo com as estatísticas oficiais, provocaram o deslocamento de 140 mil pessoas. Ataques realizados pelo Exército de Resistência do Senhor (LRA, na sigla em inglês) nos Estados Equatoriais também forçaram o deslocamento de 65 mil sudaneses esse ano, além de ter provocado a morte e captura de centenas de outras pessoas.

A combinação desses violentos ataques na região agrava a já difícil situação humanitária das pessoas no sul do Sudão. "Esse ano observamos um aumento drástico da violência nesta região – dos ataques do LRA nos Estados Equatoriais, aos brutais confrontos nos estados de Upper Nile e Lake, em Jonglei", afirma Jonathan Whittall, chefe de missão de MSF no sul do Sudão.

"Os confrontos são diferentes da tradicional ‘briga por gado’ que normalmente ocorre a cada ano. Mulheres e crianças, geralmente poupadas nos conflitos, agora são alvos deliberados e o número de mortes é superior ao número de feridos.

"Nos seis incidentes de violência mais recentes aos quais MSF respondeu em Jonglei e nos Estados do Nilo Superior nos últimos seis meses, números oficiais mostram que 1.057 pessoas morreram em contraste com 259 feridos, com mais de 60 mil deslocados. Essa prática é nova – a intenção é atacar o vilarejo e matar. O resultado é uma população vivendo em estado geral de medo, com necessidades médicas e humanitárias significativas”.

Imediatamente após o último episódio de violência, uma equipe de MSF viajou para o Condado Twic East para oferecer apoio às unidades de saúde e para realizar um levantamento das necessidades médicas e humanitárias. MSF doou suprimentos médicos para ajudar a tratar os feridos que estavam sendo atendidos em um centro de saúde em Panyangor e agora está ativamente fazendo triagens de desnutridos e transferindo os casos para o centro de tratamento.

MSF também está realizando distribuição de comida, tendo como alvo 4,5 mil crianças com menos de cinco anos de idade, para tentar prevenir a desnutrição e preencher as lacunas antes da chegada de mais ajuda.

"As pessoas fugiram de seus vilarejos sem nada”, contou Whitttall. "Com os rumores de mais violência, eles estão totalmente apavorados. Eles precisam urgentemente de assistência humanitária – alimentos e abrigos são as necessidades mais urgentes. A situação é particularmente preocupante com o atual período de fome, exacerbado pelas chuvas atrasadas e insegurança. Estamos distribuindo alimentos emergenciais para as crianças, uma vez que muitas delas não comem há dias”.