Ataque mata profissional de Médicos Sem Fronteiras a caminho do trabalho em Gaza

Fisioterapeuta foi morto com outras cinco pessoas quando se dirigia à clínica onde trabalhava

Destroços da bicicleta do fisioterapeuta de MSF Fadi Al Al-Wadiya, morto em um ataque em Gaza enquanto se deslocava de bicicleta para a clínica de MSF no dia 25 de junho de 2024. © MSF

Um profissional de Médicos Sem Fronteiras (MSF) que trabalhava em uma clínica no norte da Faixa de Gaza foi morto na manhã desta terça-feira, 25 de junho, durante um ataque que atingiu as proximidades da instalação de saúde.

O fisioterapeuta Fadi Al-Wadiya estava se deslocando para o trabalho de bicicleta no momento do ataque. Além dele, outras cinco pessoas, incluindo três crianças, também foram mortas.

Fadi tinha 33 anos, era pai de três filhos e trabalhava para MSF desde 2018. Ele é o sexto profissional da organização morto em Gaza desde 7 de outubro do ano passado.

Fadi Al-Wadiya, fisioterapeuta de MSF, fornece tratamento a um paciente na clínica de Bitlahia, no norte de Gaza, uma instalação de saúde anteriormente apoiada por MSF. © MSF

“Matar um profissional de saúde, que estava a caminho do trabalho para oferecer cuidados vitais de saúde a vítimas de ferimentos nos massacres intermináveis que ocorrem em Gaza, é mais do que chocante. É cínico e abominável”, afirmou Caroline Seguin, gerente de operações de MSF na Palestina.

Entrada da clínica de MSF em Gaza no dia 25 de junho de 2024, após ataque que matou seis pessoas, incluindo Fadi Al Al-Wadiya, fisioterapeuta de MSF. © MSF

Este ataque é mais um exemplo brutal dos assassinatos sem sentido de civis palestinos e de profissionais de saúde que têm ocorrido em Gaza. Continuamos tentando verificar mais detalhes a respeito deste incidente horrível. Nossos sentimentos estão com a família de Fadi e seus entes queridos.

 

Compartilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on print