Você está aqui

Argélia: Médicos Sem Fronteiras envia equipes para socorrer vítimas do terremoto

27/05/2003
Governo da Argélia pede a MSF que ajude no fornecimento de água e de saneamento básico aos sobreviventes do terremoto. MSF também enviou um psicólogo especializado em organizar programa para tratar doenças causadas pelo estresse pós-traumático

A organização Médicos Sem Fronteiras vai ajudar o governo da Argélia a socorrer as milhares de vítimas do terremoto que abalou o país na semana passada. Uma equipe com profissionais especializados já está no país para avaliar as necessidades mais urgentes da população afetada e para iniciar o trabalho de MSF na Argélia.

Num encontro durante o final de semana, o Ministério da Saúde argelino pediu a MSF que ajude a oferecer água potável e saneamento básico aos sobreviventes do terremoto, trabalho que será realizado em Boumerdes e outras cidades vizinhas ao leste de Argel, próximas ao epicentro do terremoto. Para dar resposta a esta demanda do governo argelino, MSF enviou um especialista em fornecimento de água e saneamento para a capital do país.

MSF também enviou para Argel um psicólogo com experiência em organizar um sistema para tratar as vítimas de trauma mental, comum após desastres naturais como este. O psicólogo de MSF está fazendo um levantamento do que será necessário para dar início a este programa de assistência às vítimas de doenças provocadas pelo estresse pós-traumático.

Na semana passada, um dia após o terremoto, MSF enviou para a Argélia uma equipe com quatro profissionais de ajuda humanitária, sendo 2 deles, nefrologistas (especialistas em rim). O risco de falência dos rins é bastante comum em sobreviventes de terremoto. É a síndrome do esmagamento, quando as células musculares liberam uma toxina na corrente sanguínea sobrecarregando os rins. Muitas das pessoas retiradas de escombros precisam fazer hemodiálise para que não acabem morrendo de complicações renais.

No entanto, após visitarem inúmeros hospitais, os nefrologistas de MSF concluíram que não há demanda para esse tipo de assistência especializada. Segundo o Coordenador de emergência de MSF na Argélia, Serge Beel, “estamos tendo uma idéia melhor das necessidades mais urgentes da população. Por isso estaremos concentrando nosso trabalho em ajudar no fornecimento de água potável e saneamento básico, e em garantir que os sobreviventes recebam tratamento para doenças causadas pelo estresse pós-traumático.”