Você está aqui

Apoio social ajuda pacientes a concluírem tratamento para tuberculoses graves na Ucrânia

25/09/2021
MSF administra programa em Zhytomyr que oferece tratamento de curta duração para tuberculose resistente a medicamentos com equipes de apoio ao paciente e psicólogos.
Apoio social ajuda pacientes a concluírem tratamento para tuberculoses graves na Ucrânia

Foto: Oksana Parafeniuk/MSF

Foto: Natalia Tsopa, uma sobrevivente de DR-TB, com o psicólogo Volodymyr Lychagin em sua casa no Alcorão, região de Zhytomyr.

Em Zhytomyr, Ucrânia, Médicos Sem Fronteiras (MSF) trabalha com o Dispensário Regional de TB para tratar pacientes com formas de tuberculose resistentes a medicamentos (DR-TB). Eles fazem o tratamento em um curto período de medicação para DR-TB e com a possibilidade de serem tratados na maior parte do tempo em casa, o que significa que os pacientes podem voltar para suas vidas, famílias e carreiras mais cedo. No entanto, concluir os novos tratamentos ainda pode ser difícil.

“Quando peguei tuberculose, perdi a vontade de viver. Meus avós me disseram que a tuberculose era uma morte lenta”, disse a sobrevivente da tuberculose Natalia Tsopa. “Durante o tratamento, me senti mal e cansada. Também perdi muito peso. Eu estava irritada e deprimida, e meus psicólogos, Vova e Lesya, me aconselharam. Eu costumava falar com os psicólogos sobre minha família, minhas aspirações e como me recuperar”.

A maioria dos pacientes neste programa pode ser tratada com um curso de medicação totalmente oral, incluindo os novos medicamentos delamanid e bedaquilina, em vez das injeções dolorosas que eram usadas anteriormente e que causavam graves efeitos colaterais. Mas muitos pacientes ainda lutam para continuar tomando a medicação durante todo o período, de nove a 12 meses de tratamento.

“O objetivo de eliminar a tuberculose continua inalcançado, impulsionado por vários fatores, incluindo a falta de adesão do paciente ao tratamento. Os problemas de saúde mental são uma das principais razões para isso. Doenças psiquiátricas e de dependência química, bem como problemas psicológicos como estigmatização e autoestigmatização, isolamento e privação social, afetam negativamente a adesão dos pacientes ao tratamento”, disse a psiquiatra de MSF Iryna Yakymuk.

O aconselhamento e o apoio social podem ajudar os pacientes a continuar o tratamento, mesmo quando é difícil. “Se você tem o desejo, então você pode ser curado”, disse Bohdan Cherniv *. “As pessoas podem perder a esperança, mas eu não quero. Falo regularmente com o psicólogo nesta instalação”.

Os pacientes também enfrentam desafios práticos. No programa de MSF, as equipes de apoio ao paciente (enfermeiras e assistentes sociais) trabalham com os pacientes com DR-TB para entender e resolver as barreiras potenciais à conclusão do tratamento, desde pensões não pagas até falta de gás ou aquecimento em suas casas. O paciente com DR-TB Dmytro Karpiuk* lembra: “Quando tive alta do hospital, MSF me forneceu lenha para todo o inverno. Esse fornecimento adicional foi muito útil, já que a estação fria significa menos clientes e menos dinheiro na cafeteria (onde a esposa de Dmytro trabalha), bem como outras faltas”.

A DR-TB pode ser curada, mas apenas se os pacientes conseguirem completar o tratamento. O apoio coordenado ao paciente - incluindo médicos, enfermeiras, especialistas em tuberculose, psicólogos e assistentes sociais - deve ser uma parte central da terapia.

*Nome alterado a pedido do paciente

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar