Você está aqui

África do Sul: uma nova revolução no tratamento da tuberculose

19/06/2018
O país é o primeiro a incluir a bedaquilina no tratamento contra a tuberculose multirresistente a medicamentos
África do Sul: uma nova revolução no tratamento da tuberculose

Foto: Sydelle Willow Smith

A África do Sul é o primeiro país do mundo a dar um passo ousado para ampliar o acesso a um novo medicamento eficaz, tornando mais tolerável o tratamento da tuberculose resistente a medicamentos (TB-MDR) e reduzindo o impacto devastador dos efeitos colaterais causados pelas injeções usadas no tratamento.

“O tratamento padrão para a TB-MDR é efetivo em apenas 50% dos casos e inclui um antibiótico injetável doloroso que causa efeitos colaterais tóxicos terríveis, incluindo insuficiência renal e perda auditiva. O uso de bedaquilina no tratamento da tuberculose resistente a medicamentos – principalmente na África do Sul – demonstra melhores resultados clínicos em pessoas que vivem com TB-MDR e evidências iniciais mostram que ela pode ser usada com segurança e eficácia no lugar do injetável tóxico” afirma Anja Reuter, médica de MSF para TB-MDR em Khayelitsha, na província de Cabo Ocidental, onde a organização mantém um programa que oferece tratamento para a doença desde 2007.

“Não há dúvidas de que devemos oferecer às pessoas a melhor opção que temos para um tratamento mais eficaz e menos tóxico, mas o progresso nessa agenda tem sido lento na maioria dos países. A África do Sul deu um passo positivo no sentido de garantir que ninguém com TB-MDR tenha seu acesso ao medicamento negado”, diz Reuter.

Enquanto os obstáculos para a implementação permanecem, o audacioso anúncio da África do Sul em relação à bedaquilina ocorre em um momento crítico. As instalações de saúde devem ser apoiadas para desenvolverem sua capacidade de usar bedaquilina e outros novos medicamentos, assim como os fabricantes devem reduzir os preços cobrados na África do Sul e no mundo todo. Anualmente, mais de meio milhão de pessoas contraem TB-MDR, mas pouquíssimas dentre as pessoas que poderiam ter se beneficiado com o tratamento tiveram acesso aos novos medicamentos, como bedaquilina.

Outros países e formuladores das orientações da OMS sobre o uso de medicamentos contra a TB-MDR podem e devem seguir o exemplo progressista da África do Sul e se comprometer a substituir o medicamento injetável e expandir globalmente o tratamento com novos medicamentos eficazes, incluindo bedaquilina.

Na medida em que os países se preparam para as discussões da primeira Reunião de Alto Nível das Nações Unidas sobre TB, que ocorrerá em setembro em Nova York, é fundamental que a África do Sul envie uma delegação do mais alto nível possível. Ao incluírem o presidente, o vice-presidente e o ministro da saúde do país e membros da sociedade civil, poderão encorajar outros delegados a tomarem medidas decisivas sobre o tratamento da TB-MDR e estabelecerem metas e compromissos financeiros claros para enfrentar a epidemia da doença.

Tratamento de TB-MDR mantido por MSF na África do Sul

MSF apoia o acesso a medicamentos novos e readaptados para fortalecer os regimes de tratamento de TB-MDR em Khayelitsha, em Cabo Ocidental, desde 2007 e em Eshowe e Mbongolwane, em KwaZulu-Natal desde 2017. O fornecimento de novos medicamentos como bedaquilina e delamanida ocorre em conjunto com a descentralização do tratamento de TB-MDR no nível primário de fornecimento de cuidados de saúde, para que o início do tratamento e o acesso a medicamentos e apoio possa ocorrer mais próximo das comunidades onde os pacientes com a doença vivem.

Leia mais sobre