Você está aqui

Afeganistão: dezenas de feridos foram tratados após combates intensos na província de Kunduz

26/06/2015
MSF tratou 77 pacientes, entre mulheres e crianças, que foram atingidos por confrontos e ataques

Foto: MSF

Confrontos intensos entre as forças de segurança do Afeganistão e grupos armados de oposição na província noroeste de Kunduz resultaram em a uma onda de feridos que chegaram ao centro de trauma da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) na cidade de Kunduz. De 20 a 23 de junho, as equipes médicas de MSF trataram 77 pacientes diretamente afetados pelos combates; um terço desses pacientes eram mulheres e crianças.   

A maioria dos pacientes feridos admitidos no centro de trauma vieram do distrito de Chardara, a cerca de 10 km da cidade de Kunduz, que foi tomada pelos confrontos desde 20 de junho. A maior parte das pessoas foram feridas por estilhaços de bombas ou de balas, com cirurgiões de MSF tratando ferimentos abdominais graves, além de ocorrências nos membros e na cabeça. Confrontos ativos diminuíram desde quarta-feira, mas a situação permanece tensa.

“Os civis ficaram reféns de quatro dias de combates intensos, com bombas atingindo casas”, diz Heman Nagarathnam, coordenador dos programas de MSF no norte do Afeganistão. “Na segunda-feira, três mulheres e três crianças de um vilarejo do distrito de Chardara foram admitidas no centro de trauma de MSF, pois haviam sofrido ferimentos após suas casas terem sido atingidas durante a noite.”

Houve um aumento significativo dos confrontos desde o ano passado na província de Kunduz. O influxo de feridos desta semana aconteceu após uma outra onda de violência que aconteceu em maio, quando equipes de MSF trataram 204 feridos de guerra em três semanas.

A insegurança contínua torna extremamente difícil o acesso das pessoas à cidade de Kunduz pelo distrito de Chardara, particularmente à noite, quando há risco de ser pego em meio ao fogo cruzado, acionar minas terrestres ou ter sua viagem atrasada por conta em diversos pontos de controle.

“Nossa equipe está apta a prestar assistência aos pacientes que conseguem chegar ao centro, mas estamos muito preocupados com as pessoas que não conseguem chegar à cidade a tempo”, diz Heman Nagarathnam. “O centro de MSF é a única instalação em toda a região noroeste do Afeganistão capaz de oferecer cuidados de trauma que salvam vidas e os membros dos corpos das pessoas. Por isso, as pessoas não têm escolha a não ser se arriscarem em uma jornada perigosa para chegarem até nós.”

Na noite de segunda-feira, 10 crianças e adolescentes entre oito e 18 anos foram levadas ao centro de trauma com ferimentos resultantes de uma bomba que atingiu a mesquita onde estavam estudando. Os membros da comunidade que foram levados feridos ao centro disseram aos profissionais de MSF que aproximadamente 30 jovens estavam na mesquita quando o morteiro atingiu o local, mas, sabendo das dificuldades de chegar à cidade de Kunduz, eles decidiram levar apenas os 10 que estavam mais gravemente feridos.

“Uma viagem que, normalmente, duraria apenas 30 minutos, leva duas horas”, diz Heman Nagarathnam. “Depois  de viajar por parte do caminho, eles estavam com medo de passar por minas terrestres na estrada, então, decidiram caminhar por uma rota diferente, carregando as crianças. Depois, eles pegaram um barco no rio Kunduz e ainda levaram tiros quando foram confundidos com combatentes. Quando finalmente chegaram à cidade de Kunduz, acenaram para veículos, pedindo carona pelo restante do caminho até o centro de trauma.”

Dadas as enormes dificuldades que as pessoas do distrito de Chardara enfrentam para chegar à cidade de Kunduz, MSF está tomando medidas para ajudar a melhorar o acesso a cuidados médicos. Em 23 de junho, a organização inaugurou um posto de estabilização no distrito de Chardara, onde enfermeiros irão oferecer cuidados imediatos a pacientes de trauma antes que eles possam ser transportados à cidade de Kunduz.

MSF começou a atuar no Afeganistão em 1980. Em Kunduz, assim como no restante do país, profissionais nacionais e internacionais trabalham juntos para garantir a melhor qualidade de tratamento às pessoas. MSF apoia o Ministério Público da Saúde no hospital de Ahmad Shah Baba, no leste de Cabul, na maternidade de Dasht-e-Barchi, no oeste de Cabul, e no hospital de Boost, em Lashkar Gah, na província de Helmand. Em Khost, no leste do país, MSF administra uma maternidade. A organização conta apenas com financiamento privado para seus projetos no Afeganistão, não aceitando recursos de governo algum.
 

Leia mais sobre