Você está aqui

Afeganistão: ataque revoltante contra mulheres grávidas e bebês

13/05/2020
Um grupo de agressores invadiu a maternidade de MSF no hospital Dasht-e-Barchi, em Cabul, e disparou uma série de tiros e explosões
Afeganistão: ataque revoltante contra mulheres grávidas e bebês

Foto: Frederic Bonnot/MSF

Médicos Sem Fronteiras (MSF) está devastada após o ataque repugnante de ontem (12/05) contra gestantes, mães e seus bebês em nossa maternidade no hospital Dasht-e-Barchi, em Cabul, no Afeganistão.

Enquanto mulheres grávidas e bebês recebiam assistência médica, em um dos momentos mais vulneráveis de suas vidas, um número desconhecido de agressores invadiu a maternidade e disparou uma série de explosões e tiros, que duraram horas.

Afeganistão: ataque revoltante contra mulheres grávidas e bebêsMSF condena esse ato de violência sem sentido e covarde, que custou a vida de muitas pessoas e privou mulheres e crianças em Cabul de um serviço de saúde vital, em um contexto em que o acesso a cuidados essenciais já é limitado. A maternidade está localizada em uma região no oeste de Cabul com mais de 1,5 milhão de habitantes.

Lamentamos a perda de vários pacientes e há suspeita de que pelo menos um colega nacional também tenha sido morto. Por enquanto, ainda em meio a tanta incerteza, nossa equipe médica está fazendo todos os esforços para acompanhar os recém-nascidos na maternidade, para garantir o melhor atendimento possível aos nossos pacientes e aos feridos, para dar apoio psicológico às pessoas afetadas e para prover todo o suporte necessário aos sobreviventes.

Durante o ataque, uma mulher deu à luz. Ela e o bebê estão bem.

Nossa equipe, composta por obstetrizes, médicos, faxineiros, enfermeiros, cozinheiros, vigias e funcionários administrativos, prestam serviços inestimáveis a mulheres que precisam de cuidados maternos, especialmente àquelas cujos partos apresentam complicações.

Por enquanto, as atividades médicas na maternidade Dasht-e-Barchi estão suspensas, mas não foram encerradas definitivamente. Os pacientes foram evacuados para hospitais vizinhos e a equipe está em segurança.

Mais do que nunca, MSF se solidariza com o povo afegão.

MSF abriu a maternidade de 55 leitos no hospital Dasht-e-Barchi em 2014. Desde o início do ano, 5.401 bebês nasceram na maternidade e 524 estiveram em tratamento na unidade neonatal e na maternidade “canguru” de terapia intensiva.


MSF começou a trabalhar no Afeganistão em 1980, mas esteve ausente do país entre 2004 e 2009, após o assassinato de cinco profissionais na província de Badghis. Em 2019, MSF manteve sete projetos em seis províncias do país e realizou mais de 100 mil consultas ambulatoriais, assistiu mais de 60 mil partos e realizou quase 10 mil intervenções cirúrgicas. MSF não aceita financiamento de nenhum governo para realizar seu trabalho no Afeganistão; a organização conta inteiramente com doações privadas.

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar