Você está aqui

5 recomendações sobre a COVID-19 para pessoas que vivem com Chagas

14/04/2021
5 recomendações sobre a COVID-19 para pessoas que vivem com Chagas

Foto: Seamus Murphy/VII

Neste Dia Mundial da Doença de Chagas, pautados pela pandemia, apresentamos algumas recomendações gerais sobre a COVID-19 para pessoas afetadas por Chagas.
 
1- Sou mais vulnerável à COVID-19 por estar no estágio crônico da doença de Chagas?
 
Se você teve um diagnóstico positivo para doença de Chagas, mas não desenvolveu nenhuma outra doença ou complicação adicional, você é considerado tão vulnerável à COVID-19 quanto a população em geral.

No entanto, se você é acometido por complicações cardíacas, pressão alta, diabetes ou imunossupressão, associada ou não à doença de Chagas, você faz parte do grupo de risco da COVID-19.
 
2- Devo interromper o tratamento para doença de Chagas se tiver sintomas ou apresentar um resultado positivo para a COVID-19?  
 
Primeiro, você deve consultar um profissional de saúde local. Em geral, se você estiver na fase crônica da doença de Chagas, o tratamento antiparasitário pode ser adiado por algumas semanas até que a infecção por COVID-19 seja tratada através dos protocolos nacionais.

No entanto, pode haver casos especiais, como infecções na fase aguda da doença de Chagas, em que o profissional de saúde determinará se deve ou não continuar o tratamento antiparasitário.  

Como a COVID-19 é uma doença relativamente nova, ainda não temos informações suficientes sobre o impacto que o tratamento da doença de Chagas pode ter sobre pessoas com resultado positivo para a COVID-19.  
 
3- O que devo fazer se, portador da doença de Chagas, ainda não tiver recebido o tratamento e começar a apresentar sintomas de COVID-19?

Se você estiver com os sintomas da COVID-19, entre em contato com o centro de saúde ou a equipe de saúde de referência local para informá-los sobre esses sintomas e também esclarecer que você tem um diagnóstico positivo da doença de Chagas. Assim, eles poderão realizar o teste para a COVID-19 e, com base no resultado, recomendar as opções de tratamento mais apropriadas.
 
4- Posso continuar indo ao centro de saúde para prosseguir com as minhas consultas para o tratamento da doença de Chagas enquanto durar a pandemia de COVID-19?
 
Depende de cada caso. Você deve consultar o centro de saúde ou a equipe de referência, principalmente, se sofrer de complicações cardíacas ou outras causadas pela doença de Chagas.  

Se você está na fase aguda da doença de Chagas (devido à infecção recente ou reativação), pode ser necessário tratar imediatamente. Se você não tiver sintomas, é aconselhável adiar o tratamento e priorizar os cuidados contra a COVID-19.  

Recomendamos entrar em contato e consultar um centro de saúde por telefone o mais rápido possível, para reduzir o risco de contrair ou transmitir a COVID-19 e, assim, permitir que a equipe ou o centro de saúde atenda adequadamente seu caso.  
 
5- O que devo fazer se meu resultado para COVID-19 for positivo enquanto estou grávida e com infecção por Chagas?  

Antes de mais nada, você deve informar a equipe que cuida de você durante a gravidez sobre o resultado da doença de Chagas. Nesse caso, a prioridade será protegê-la contra a COVID-19. De qualquer forma, o tratamento para doença de Chagas não é indicado durante a gravidez.  

Após o parto, a equipe de saúde realizará os testes correspondentes para detectar se o bebê nasceu ou não com a doença de Chagas. Dependendo do resultado, as medidas e tratamentos apropriados serão realizados assim que for considerado necessário. Na maioria dos casos, o tratamento para doença de Chagas pode ser adiado até que a infecção por COVID-19 e o período de lactação do bebê terminem, embora existam situações em que o tratamento pode ser realizado mais cedo.  

*Observação: estas informações foram elaboradas por um grupo de especialistas de diversas organizações da Coalizão Chagas e em alinhamento com as informações divulgadas por especialistas da OMS e OPAS.

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar