Você está aqui

4 etapas que MSF realiza para decidir quando e onde iniciar um novo projeto

20/05/2021
A necessidade da população, o nível de emergência e o nosso impacto no local são alguns dos critérios que utilizamos para iniciar um projeto em qualquer lugar do mundo
4 etapas que MSF realiza para decidir quando e onde iniciar um novo projeto

Foto: Chris Huby

As equipes de Médicos Sem Fronteiras (MSF) atuam em mais de 70 países ao redor do mundo. Embora cada situação que respondemos seja diferente, desenvolvemos um sistema de resposta testado e comprovado que garante que nossas equipes tenham os recursos que precisam para entrar em ação o mais rápido possível. Quando surge uma crise, agimos rapidamente para avaliar as necessidades, mobilizando a equipe de MSF que já está na região ou enviando uma equipe de emergência. Nossa capacidade logística inigualável nos permite começar a tratar os pacientes quase que imediatamente. Como somos financiados de forma independente por doações de pessoas e da iniciativa privada, não precisamos esperar que fundos institucionais ou governamentais sejam liberados ou que uma crise chegue às manchetes. Podemos agir imediatamente onde e quando a necessidade for maior. A maneira como abrimos e fechamos projetos foi desenvolvida para garantir que nossos recursos e nossa experiência sejam usados da forma mais eficaz possível para salvar ainda mais vidas, não importa onde estivermos atuando.

Destacamos as principais etapas que realizamos para podermos iniciar um novo projeto:

Etapa 1: saber para onde ir

Foto: Thomas Dworzak/Magnum Photos

Existem várias maneiras de sermos alertados sobre crises que precisam de nossa atenção:

- Por equipes de MSF que já atuam com as pessoas afetadas
- Pelas autoridades locais
- Pela comunidade internacional, como pela Organização Mundial da Saúde (OMS)
- Por outras organizações humanitárias, como o Departamento de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (UNDHA)
- Por ONGs locais e nacionais

Etapa 2: envio das equipes de exploração e de resposta a emergências

Foto: Dale Koninckx/MSF

Confirmada a informação de uma nova crise, enviamos uma equipe de especialistas médicos e logísticos à área em crise para realizar uma rápida avaliação. Essa "missão exploratória" é conduzida ou pela equipe que já atua na região ou por especialistas enviados de nosso centro operacional.

Enquanto a equipe de exploração avalia a situação e elabora uma proposta de intervenção, nossas equipes de emergência entram em ação. Essas equipes são compostas por profissionais de MSF com ampla experiência no terreno em áreas-chave, como atendimento médico, logística, gestão de crises (incluindo conflitos e desastres naturais) e administração. Como os membros da equipe de resposta a emergências estão em prontidão 24 horas por dia, 7 dias por semana, eles podem ser mobilizados poucas horas após uma emergência.

Etapa 3: envio de equipes especializadas em projetos e suprimentos

Foto: Claudia  Blume/MSF

A proposta de intervenção feita pela equipe de exploração descreve o número de pessoas afetadas e os recursos mais amplamente necessários. Depois de aprovado, o centro operacional de MSF seleciona os profissionais e coordena a entrega de equipamentos especializados e outros recursos. Graças aos nossos protocolos simplificados, com centros de logística e kits médicos prontos, podemos distribuir materiais e equipamentos em poucas horas para que nossas equipes possam começar a atuar e salvar vidas imediatamente após sua chegada no local. Em alguns países que são mais propensos a ocorrência de crises, ou onde uma crise pode ocorrer em breve, MSF mantém suprimentos de emergência armazenados em depósitos.

Uma equipe de MSF no terreno tem em média entre quatro e 12 profissionais internacionais trabalhando em colaboração com até 200 agentes locais. As operações no terreno são gerenciadas por um coordenador nacional e uma equipe de coordenação. Isso geralmente inclui um coordenador médico, um coordenador logístico e um coordenador financeiro que normalmente estão localizados na capital de cada país onde MSF atua. Eles supervisionam o projeto e atuam como elo de ligação entre MSF, autoridades locais, parceiros e outras organizações não governamentais (ONGs). Eles também se reportam regularmente aos Departamentos de Operações em suas sedes.

Etapa 4: saber quando fechar um projeto

Foto: Richard MALIKONGE

Os projetos de MSF geralmente têm uma duração de 18 meses a três anos e meio. No entanto, há casos em que ficamos apenas semanas ou mantemos uma presença, de alguma forma, por décadas.

Contamos com a avaliação da equipe no terreno e dos centros operacionais para nos ajudar a avaliar quando uma epidemia ou conflito diminuiu, ou quando as organizações locais têm os recursos e a experiência necessários para assumir as operações. Durante muitos projetos de MSF, treinamos profissionais locais para desenvolverem habilidades médicas específicas e garantir que os pacientes possam continuar a receber os cuidados que necessitam após a partida de nossas equipes.






 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar