Você está aqui

As dificuldades dos refugiados sul-sudaneses no Sudão

31/07/2018

A violência no Sudão do Sul obrigou quase um terço da população a fugir de suas casas. O país é marcado por mais de três anos de conflito e de extrema violência contra civis. Centenas de milhares de pessoas têm acesso limitado a serviços básicos como alimentação, água, assistência médica primária e secundária.

Mais de 750 mil sul-sudaneses estão refugiados no Sudão, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas (Acnur). Cerca de 100 mil deles estão na região de Darfur Oriental. Médicos Sem Fronteiras (MSF) inaugurou em julho de 2017 um hospital no campo de refugiados de Kario. O campo foi criado em 2016 e é o maior acampamento para refugiados na região. Mais de 20 mil pessoas estão ali abrigadas.

MSF oferece diariamente cerca de 250 consultas a refugiados e membros da comunidade local. Em dezembro de 2017, durante uma campanha de imunização, profissionais de MSF vacinaram 19 mil crianças contra o sarampo. Diariamente, uma equipe de 25 profissionais comunitários caminha pelo campo e informa a comunidade sobre cuidados de saúde.

Continuamos ampliando nossa oferta de serviços médicos para atender às necessidades do crescente número de pacientes no campo de refugiados de Kario.