Você está aqui

Preparando-se para o trabalho

Já no Sudão do Sul, Raphael Cruz chega ao projeto onde vai ficar por seis meses com MSF
24/06/2016
Preparando-se para o trabalho

Foto: Arquivo Pessoal

Raphael Cruz

Obstetriz

Data: 06/02/2016

Saímos ontem da capital do Sudão do Sul e viemos para o campo de refugiados de Doro, na província de Maban. Conheci um cara na capital chamado Alejandro, o Alex, que veio comigo para cá. Ele é francês, muito gente boa, químico e trabalha com saneamento. Está aí alguém que imagino que vá trabalhar mais do que eu.

Para vir para cá, só com voos humanitários. Desta vez, não foi tão difícil no aeroporto. Mas é realmente complicado por lá.

Viemos no tal voo humanitário no Programa Mundial de Alimentos (PAM), num avião pequeno, de 30 passageiros. O único problema foi o peso da mala. Eu trouxe uma mala só com “presentes” para o pessoal daqui. Coisa simples, mas o peso total deu 37kg mais todas as tranqueiras, como chocolates e café, por exemplo, e acabei ultrapassando os 25 kg permitidos. Tive de deixar umas coisas na capital, Juba, para eles me enviarem depois.

O voo estava previsto para durar uma hora e quarenta minutos, mas chegou a duas horas e meia. A vista é bem legal, diferente. Cheguei ao aeroporto e fui super bem-recebido pela mulher da Administração, pela coordenadora do campo e por duas obstetrizes da capital que foram mandadas para cá –uma delas está gravida e vai sair em licença no mês que vem!

Cheguei aqui ontem às 15 horas e tive reuniões sobre o contexto histórico do local, segurança, administração e logística. O lugar onde fico é quase como uma vila, que é o espaço de Médicos Sem Fronteiras (MSF). Tem um espaço principal onde fica o administrativo; logo em seguida tem uma sala comum de jantar e cozinha, com uma lavanderia ao lado; um pouco depois, tem os Tukul’s, que são nossos “dormitórios”; e próximo ficam os chuveiros e banheiros.

Achei super bem organizado, mesmo em meio à situação tão precária em que o país se encontra. É tudo bem básico, mas superou em muito as minhas expectativas. Em MSF, eles se preocupam bastante com a nossa saúde e higiene. Estou também tomando a profilaxia para malária e estou abusando do repelente.

Ah, tem uma horta pequena, uma quadra de vôlei e um galinheiro!

Ainda não fui à clínica, mas recebi um milhão de informações sobre segurança e a parte administrativa. Essas reuniões acabaram lá pelas 21 horas, e, então, a coordenadora fez uma reunião geral e nos apresentou, a mim e ao Alex, para o pessoal.

Todos são muito legais. Ficamos conversando depois e a obstetriz internacional, a Trine, que é dinamarquesa e mora na Noruega, me contou um monte de coisas. Matou minha curiosidade! Estou bastante empolgado para começar, apesar de saber que vou ficar mais com papeladas e supervisão da equipe do que com partos. Ela ia me levar até a clínica à tarde para conhecer, mas a nossa supervisora, a Viola, disse para eu descansar. Lá pelas 15 horas, teve reunião de obstetrizes e depois a Viola me explicou meu trabalho, que vai ser, basicamente, supervisionar, gerenciar e resolver partos complicados. Meu primeiro plantão é amanhã. Esta semana farei só plantões diurnos para pegar o ritmo.

A internet daqui é péssima. É por satélite, mas é muito melhor que nada. Para quem entende: 512kbps para 20 pessoas, sendo que cada um tem pelo menos um celular e um notebook/tablet, além dos notebooks da administração. Para quem não entende, entrem no site  http://speedtest.copel.net/ e façam o teste da velocidade na casa de vocês. Aqui, com quase ninguém usando, deu 0.31mbps para download e 0.19mbps para upload. Ou seja. Demora uns 5 minutos para baixar uma música e 13 minutos para enviar a mesma música para alguém.

Ah! Hoje aconteceu uma coisa muito legal: fui correr com o Alex fora do alojamento e encontramos um monte de crianças. Elas começaram a correr com a gente, perguntavam nossos nomes, ficavam imitando a gente (brincando). Eu tentei tirar uma foto, mas não deu, infelizmente.

Por enquanto, estou aproveitando para escrever notícias daqui, mas imagino que logo mais terei pouco tempo pra isso. 

Beijos a todos e até a próxima.

 

Confira o segundo e o terceiro diário de bordo do obstetriz Raphael Cruz.