Recife

O Conexões Médicos Sem Fronteiras no Recife levou 18 atividades a 12 localidades da cidade. De 27 de setembro a 11 de outubro, cerca de 7 mil pessoas assistiram a exibições de filmes, palestras, exposições, intervenções artísticas e contação de histórias sobre o trabalho de MSF nos cerca de 70 países onde a organização atua.

O público recifense se mostrou empolgado com o evento desde a sua abertura até as últimas atividades. A estudante de Ciência Política Camila Nunes, por exemplo, encontrou com as equipes de MSF em três ocasiões. “Eu estive na exibição a céu aberto do filme ‘Affliction – O Ebola na África Ocidental’, assisti também ao filme ‘Acesso à Zona de Perigo’ e levei minha sobrinha para a contação de histórias para crianças. Nunca a vi tão concentrada por tanto tempo! Embora os contextos abordados sejam tensos, a apresentação tirou todo esse peso, mas ao mesmo tempo soube conscientizar até os adultos que estavam presentes. Fiquei maravilhada!”, disse Camila. O sentimento de alegria para quem estava do outro lado também não foi diferente: “Ficamos muito felizes com o convite! Foi incrível para nós contar histórias de outras realidades. Tenho certeza de que elas tocaram verdadeiramente aqueles que estavam ali nos ouvindo”, agradeceu Cacau Nóbrega, brincante da contação de histórias e músicas da Cia. Agora Eu Era.

Para a realização de todas as atrações do Conexões MSF no Recife, 12 profissionais de MSF-Brasil foram mobilizados. “O nome do evento não poderia ser outro. Senti que todas as atividades estiveram, de algum jeito, conectadas e integradas”, disse a recrutadora e gestora de carreiras Vanessa Cardoso, uma das participantes do bate-papo “Trabalhe com MSF”. Para ela, a resposta do público também foi muito positiva: “As pessoas vinham até mim fazer elogios a MSF. Em todos os momentos, houve excelência, no sentido pleno da palavra. A disposição do público e a qualidade dos currículos que recebemos durante o debate superou as expectativas”, completou.

O último dia do evento foi marcado pela finalização do “Diário de arte”. A partir de relatos de profissionais de MSF sobre suas vivências em campo, artistas da ONG recifense Cores do Amanhã traduziram em arte o que interpretaram dos textos em um espaço do bairro Recife Antigo.

Confira as fotos que registraram a segunda edição do Conexões MSF e fique ligado: em breve, divulgaremos informações sobre a realização do evento em Fortaleza.

Como foi o Evento

atividades

Uma série de atividades, em doze diferentes locais, para você se conectar com MSF. Uma delas tem a sua cara!