Você está aqui

AddToAny

Vida em campo

Muitas vezes, a imagem associada a Médicos Sem Fronteiras (MSF) é a do médico arriscando sua vida para realizar cirurgia em tempos de guerra ou a da enfermeira cuidando de uma criança desnutrida. É verdade: fornecer cuidados de emergência às populações em perigo e necessidade é um desafio em si, mas isso nem sempre é tão impressionante e heroico quanto parece. Antes de iniciar as etapas para trabalhar com MSF no exterior, você deve compreender as razões que te levam a tomar essa decisão. Pergunte-se: você está idealizando o trabalho em campo ou, de fato, está fazendo uma escolha baseada em reflexão? Sua motivação e seus valores estão realmente em concordância com um projeto de MSF? Você está considerando o estresse e as dificuldades frequentemente enfrentadas pelos profissionais da organização em campo?

Atualmente, MSF mantém projetos em mais de 70 países em meio a situações de conflitos armados, epidemias, desastres naturais e exclusão do acesso à saúde. Cada um dos projetos tem sua particularidade e, em todos eles, a segurança das equipes e dos pacientes é aspecto fundamental para MSF. Entre os profissionais, a diversidade cultural é uma constante e a flexibilidade para adaptar-se às adversidades que possam surgir é uma característica essencial.

Conheça as principais características de nossos projetos em campo e as questões sobre as quais você deve refletir ao considerar juntar-se a nós.

 

 

Condições de vida

Trabalhando com MSF em projetos de campo, adaptação é a palavra de ordem: alimentação, habitação, ritmo de vida, lazer, língua e colegas. Um novo estilo de vida espera por você em que a privacidade e o tempo livre podem ser raros. É possível que você tenha de compartilhar seu quarto e o banheiro, e que a prática do seu esporte favorito tenha de esperar o fim da sua jornada com MSF.

Os projetos de MSF podem estar localizados em regiões cujas condições meteorológicas não sejam sempre brandas – calor ou frio extremo, altos índices de umidade, chuvas ou clima desértico. Viver em uma cabana feita de barro sem ventilador ou ar-condicionado, tolerar zumbidos de insetos, ter de lidar com uma fonte de energia restrita e variedade limitada de alimentos por meses. Pode ser que esse seja o cenário do seu projeto.

Condições de vida

Por outro lado, talvez você seja beneficiado com o conforto de uma casa espaçosa, que pode até ter quem cozinhe e arrume, enquanto os beneficiários de seu projeto sobrevivem a duras penas. Algumas pessoas têm dificuldades em conviver com tal paradoxo.

Certifique-se da sua capacidade de abandonar seu conforto material, antes de sair com MSF. Você também estará longe de sua família e amigos por vários meses e a comunicação pode ser difícil.

 

Diferenças culturais

Trabalhar em meio a uma cultura desconhecida pode, por vezes, levar a equívocos. Conceitos como pontualidade, responsabilidade e respeito ao espaço de cada um podem variar, e muito, de acordo com a cultura do país em que se está. Saiba que, mesmo se você já tiver experiência fora de seu país de origem, este conhecimento não garante sua adaptação em um projeto com MSF. A tolerância com as pessoas que pensam e agem de formas diferentes da sua é primordial.

Diferenças culturais

 

Vida familiar e privada

Trabalhar nos projetos de campo significa, entre outras coisas, deixar seus entes queridos durante algum tempo – geralmente, entre seis e 12 meses. Alguns veem o trabalho humanitário como uma válvula de escape para seus problemas pessoais, mas a fuga nunca é uma boa ideia. Pense: Qual será o impacto da sua ausência por um ano na sua vida pessoal?

Considere também o efeito que um dia de trabalho difícil pode ter sobre o seu humor. A experiência em um projeto humanitário é certamente emocionante, mas tem consequências. O trabalho em campo deixa marcas.

Vida familiar e privada

 

Lidando com o estresse

Atuar com ajuda humanitária em situações de emergência significa um aumento do nível de estresse. Vários fatores podem criar um clima desconfortável e desmotivar você: a tensão entre membros da equipe, problemas de saúde, o afastamento de sua família e amigos, o sentimento de insegurança, frequentes mudanças no projeto, por vezes difíceis relações com as autoridades locais, as condições de vida básicas e até mesmo a alimentação.

Para tomar a decisão de trabalhar em projetos de MSF, é importante que você se faça algumas perguntas:

  • Como você gerencia o estresse na sua vida diária?
  • Você já viveu e trabalhou em grupos de três a dez pessoas por longos períodos de tempo?
Lidando com o estresse
  • Você se comunica bem?
  • Você consegue colocar suas próprias prioridades e problemas pessoais de lado para realizar seu trabalho?
  • Quais são suas fontes de estresse e como você gerencia uma equipe?

 

Segurança

Nem todos os projetos de MSF estão em locais inseguros, mas você pode ser chamado para viver e trabalhar em países instáveis onde sua vida pode estar em perigo. No entanto, para cada projeto, várias reuniões técnicas (briefings), planos, diretrizes e guias foram definidos para minimizar os possíveis riscos.

Quando estiver trabalhando em um projeto, o profissional deve entender que está representando MSF dia e noite, sete dias por semana, mesmo durante seu tempo livre. É importante ressaltar que cada um também é responsável por sua própria segurança bem como a de sua equipe.

As regras de segurança de MSF podem limitar sua locomoção e sua interação com a população local fora do horário de trabalho. Pode acontecer de você ter de, inclusive, respeitar medidas como toques de recolher ou até que você seja obrigado a permanecer no alojamento de MSF.

Segurança

 

Considerações finais

O trabalho com MSF é um compromisso, não uma simples aventura. Como profissional estrangeiro em outro país, você se torna solidário às pessoas em situação vulnerável no mundo todo. Sua presença nos momentos difíceis ao lado destes homens, mulheres e crianças faz diferença e garante que essas pessoas não caiam no esquecimento.

Considerações finais

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar