Você está aqui

Serra Leoa

Equipe de MSF atravessa o vale para alcançar a comunidade da chefatura de Jah, que ficou isolada pelas enchentes que atingiram Freetown e arredores. (Foto: MSF)
Serra Leoa
Paises em que MSF atua
A mortalidade materno-infantil permanece alta em Serra Leoa e seu sistema de saúde ainda luta para se recuperar do surto de Ebola de 2014-2016, que matou aproximadamente 10% dos profissionais de saúde.
 
Médicos Sem Fronteiras (MSF) trabalha em hospitais e unidades de saúde primária na comunidade para aumentar o acesso aos cuidados de saúde, preencher lacunas no fornecimento de medicamentos essenciais e ajudar a desenvolver a força de trabalho de saúde do país. Nosso foco é a saúde materno- infantil, mas monitoramos a situação da saúde em todo o país, em prontidão para responder   a emergências, se necessário.
 
Distrito de Tonkolili
 
Em 2018, continuamos a apoiar  os  serviços de saúde materno-infantil do hospital distrital de Magburaka, introduzindo melhorias de água e saneamento, bem como um banco de sangue, e reforçando as medidas de prevenção e controle de infecções. Nossas equipes assistiram 3.230 partos e realizaram 16.300 consultas de pré-natal e 4.370 de pós-natal durante o ano, além de apoiar encaminhamentos, treinar a equipe e conduzir o trabalho de sensibilização da comunidade.
 
Oferecemos atendimento médico e psicológico a sobreviventes de violência sexual no hospital de Magburaka e nas unidades de saúde  vizinhas. Durante a estação chuvosa, apoiamos sete pontos de gestão de malária baseados
na comunidade com triagem, tratamento e encaminhamentos.
 
Distrito de Koinadugu
 
Continuamos o trabalho nas  enfermarias pediátricas e de maternidade e no departamento de emergência do hospital do distrito de Kabala, em Koinadugu, ao longo de 2018, e apoiamos o sistema de encaminhamento para todo o distrito.
Também mantivemos uma equipe de  apoio ao centro comunitário de saúde, aos agentes comunitários de saúde, aos assistentes tradicionais de parto e ao posto de saúde.
 
Após aumentarmos a  capacidade  do  hospital e das unidades de saúde da comunidade, elevarmos o padrão dos serviços de emergência, pediatria e maternidade e fortalecermos o sistema de encaminhamento, repassamos todas as atividades ao Ministério da Saúde no fim do ano.
 
Distrito de Kenema
 
Apoiamos 13 centros de saúde primária nas regiões de Gorama Mende, Wandor e Nongowa no distrito de Kenema, fornecendo supervisão clínica e treinamento, auxiliando nos encaminhamentos, preenchendo lacunas significativas no fornecimento de medicamentos essenciais e equipamentos médicos e realizando atividades de divulgação e promoção de saúde.

As fundações de um novo hospital foram iniciadas na cidade de Hangha em janeiro de 2018 e até o fim do ano a instalação
estava em fase de conclusão. Com inauguração prevista para março de 2019,o hospital oferecerá uma gama completa de serviços pediátricos, incluindo um pronto- atendimento, uma unidade de terapia intensiva, um centro de nutrição terapêutica, uma enfermaria pediátrica geral e uma ala de isolamento, bem como um laboratório e um banco de sangue.
 
Os planos de expansão a longo prazo incluem a introdução de serviços de maternidade e radiologia.
 
Recursos humanos para a saúde
 
Enquanto estabelecíamos as fundações de infraestrutura do hospital em Kenema, também definimos o treinamento de pessoal, por meio da Academia de Saúde de MSF – criada em   2016 para melhorar as habilidades de médicos e paramédicos em ambientes de poucos recursos, com escassez de profissionais treinados.
 
O treinamento foi oferecido a 160 profissionais de saúde no distrito de Kenema em 2018.
 
Outros 50 (25 enfermeiros e 25 obstetrizes) foram para Gana para um programa de intercâmbio de 24 meses; e 12 enfermeiras do Sudão do Sul ingressaram em um curso de anestesia de 18 meses. Enfermeiros e obstetrizes de Serra Leoa voltarão a trabalhar no novo hospital em Kenema. O projeto servirá como um piloto para desenvolver as ferramentas e os conhecimentos necessários para atender às demandas de treinamento em outros países, como a República Centro-Africana, a República Democrática do Congo e o Sudão do Sul.

MSF atua no país desde 1986.

Dados de 2018:

Pacientes de malária tratados
Consultas pré-natal
Consultas ambulatoriais
43.800
25.000
103.800

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar