Você está aqui

Por que os profissionais de campo que retornaram da África Ocidental não se mantiveram em quarentena após seu regresso?

Enviado por admin_msf em 03/11/2014

Essa é uma questão compreensível, que MSF leva muito a sério.

 

O Ebola é uma doença muito perigosa, mas também é muito difícil de pegar. Na África Ocidental, os números são assustadoramente altos; este é o maior surto de Ebola já visto. No entanto, a maior parte da propagação pode ser atribuída à região que a epidemia atingiu: uma área em que os países têm serviços de saúde extremamente limitados.

 

Devido à natureza do vírus, ele não pode ser transmitido de uma pessoa para outra antes que os sintomas apareçam. Mesmo depois que um paciente começa a apresentar sintomas, ele ainda não é muito contagioso. Eles se tornam mais infecciosos na medida em que os sintomas se agravam, principalmente após desenvolverem sintomas gastrointestinais, como diarreia e vômitos, e depois, mais tarde, começarem a sangrar. Mesmo assim, a infecção só pode resultar do contato direto com fluidos corporais, tais como vômito, sangue e fezes.

 

Os protocolos de MSF já estabelecidos há tempos para os profissionais que voltam do campo foram baseados nesses e em outros fatos levantados pela ciência médica prevalecente relacionada com o Ebola. Nossos profissionais de campo, conforme é detalhado a seguir, recebem protocolos muito restritos que devem ser seguidos durante e após a realização de suas atividades. Esses protocolos asseguram que, no caso de uma possível infecção, eles sejam imediatamente isolados e recebam o tratamento de que necessitam antes que se tornem significativamente contagiosos. Foi o que aconteceu com o caso do Dr. Craig Spencer, nosso colega agora em tratamento em Nova York. Ele imediatamente relatou o aparecimento de sintomas relevantes e foi rapidamente colocado em isolamento em uma instalação preparada para lidar com tal eventualidade.

 

Colocar em quarentena todos os profissionais de saúde que retornam do trabalho com pacientes de Ebola na África Ocidental tem sido considerado, por consenso médico, uma resposta desnecessária e desmedida à ameaça limitada de contágio quando os protocolos adequados estão sendo seguidos. O que foi declarado absolutamente necessário, e o que MSF treina com seus profissionais de campo, é o monitoramento vigilante da própria saúde, comunicação frequente com nossos escritórios, e notificação imediata dos sintomas que sugerem Ebola.

Assunto:

Tipo de Pessoa: 
Física