Você está aqui

Quirguistão

Quirguistão

Embora o Quirguistão tenha um índice elevado de tuberculose resistente a medicamentos (TB-DR), muitas pessoas têm dificuldades de acesso a tratamento, especialmente nas áreas rurais.

É prática padrão do país internar os pacientes de TB no hospital, mas desde que Médicos Sem Fronteiras (MSF) começou a trabalhar no distrito de Kara-Suu, província de Osh, o foco tem sido o atendimento ambulatorial, limitando o tempo que o paciente passa no hospital. Isso reduz o risco de contração de infecções hospitalares e melhora a adesão ao longo e difícil regime de tratamento. MSF está prestando serviços abrangentes de TB-DR no distrito de Kara-Suu, incluindo detecção precoce, inscrição no programa de tratamento, consultas médicas mensais para pacientes e apoio social e psicológico. A equipe atua em três clínicas de TB do distrito fornecendo medicamentos e itens de laboratório e no treinamento de profissionais do Ministério da Saúde.

MSF continua a apoiar o diagnóstico e o tratamento de pacientes com TB-DR no hospital de Kara-Suu, que tem uma enfermaria à parte para os infectados. A equipe também auxilia na administração do lixo do hospital e no controle de infecções.

As equipes realizam 20 consultas domiciliares por mês para pacientes que não têm condições de ir até as clínicas de TB. Eles recebem tratamento e apoio psicológico.

Dentro do escopo do projeto endTB, MSF planeja introduzir dois novos medicamentos para a TB-DR no Quirguistão em 2016, a bedaquilina e a delamanida. Os tratamentos serão mais curtos e os pacientes não precisarão de injeções.

Em 2015, 127 pacientes de TB-DR foram inscritos no programa de tratamento de MSF.

Depoimento

Gulmira Halmamatova, 27 anos

“Em 2011, comecei a me sentir mal e estava perdendo peso. Um raio-X mostrou que eu tinha TB e eu tive que passar seis meses no hospital para concluir o tratamento. Mas alguns anos depois, comecei a passar mal de novo. Em março de 2015, me falaram que era a TB novamente, mas uma ‘pré-XDR’. Quando meu marido descobriu, ele me deixou. Eu fazia de tudo para agradar a família do meu marido e ignorava minha saúde.  Eu fui transferida para o hospital de TB de Kara-Suu, onde MSF iniciou meu tratamento. Agora estou em tratamento ambulatorial, por isso posso ficar com a minha família e receber carinho e apoio. A cada dia que passa me sinto melhor e mais saudável.”




 

Diário de Bordo

Quirguistão
Início da Atuação: 
2005
Atividades Médicas: 
HIV/Aids
Saúde mental
Tuberculose