Você está aqui

Iraque

Iraque

O conflito no Iraque continua causando imensas dificuldades e obrigando um grande número de pessoas a abandonar seus lares, mas a falta de financiamento resultou em uma redução da resposta internacional, que foi concentrada principalmente nas áreas mais seguras do Curdistão iraquiano.

Há atualmente mais de 3,2 milhões de iraquianos vivendo como deslocados no país, obrigados a deixar seus lares, e isso representa uma imensa demanda para as comunidades anfitriãs. Em 2015, Médicos Sem Fronteiras (MSF) ampliou suas atividades para oferecer atendimento de saúde básico e alívio para famílias deslocadas, aqueles que tentam voltar para seus lares, comunidades anfitriãs empobrecidas e refugiados sírios em locais distribuídos entre 11 províncias: Dohuk, Erbil, Sulaymaniyah, Ninewa, Kirkuk, Salaheddin, Diyala, Bagdá, Najaf, Karbala e Babil.

Nessas províncias, MSF mobilizou suas clínicas móveis para oferecer atendimento de saúde para aqueles que não podem chegar às instalações de saúde em decorrência de riscos de segurança e restrições à movimentação. As equipes visitaram com regularidade uma série de locais, usando como base as clínicas, barracas e até ônibus. Em áreas de maior presença militar, os médicos providenciaram documentação de encaminhamento para garantir o trânsito seguro de pacientes que precisam de tratamento em instalações de saúde secundárias. Equipes de MSF também monitoraram o surgimento de possíveis surtos de doenças.

A maioria dos problemas de saúde vistos por MSF MSF está relacionada à precariedade das condições de vida, incluindo infecções do aparelho respiratório e urinário, problemas gastrointestinais, artrite e doenças de pele. MSF também se concentrou nas doenças crônicas, particularmente a hipertensão e as diabetes, e na saúde de mães e filhos. Havia funcionárias médicas presentes para incentivar as mulheres a frequentarem as clínicas.

Atividades de saúde mental

Os esforços de MSF este ano também tiveram como foco aumentar a oferta de primeiros socorros psicológicos ao crescente número de pessoas traumatizadas pela violência recorrente e suas precárias condições de vida. Nas províncias de Karbala, Najaf e Babil, MSF continuou as atividades regulares de seus programas de saúde mental oferecendo assistência a deslocados internos. Mais de 1.500 sessões de orientação individual foram concluídas e 9.220 pessoas participaram do ensino psicossocial em grupo. A equipe treinou funcionários do Ministério da Saúde - e também professores que lidam com crianças - no atendimento de saúde mental. Na província de Erbil, uma equipe de psicólogos e psiquiatras de MSF ofereceu apoio a refugiados sírios nos campos de Kawargosk, Gawilan e Darashakran.

Atendimento médico móvel

Durante a maior parte de 2015, equipes médicas de MSF ofereceram atendimento de saúde (21.775 consultas) a deslocados reunidos em edifícios não concluídos na província de Dohuk. Conforme as pessoas foram gradualmente transferidas para campos com oferta formal de serviços médicos, MSF deslocou o foco de suas atividades para o distrito de Tel Afar, província de Ninewa, onde a infraestrutura médica tinha sido destruída durante o conflito e as necessidades eram imensas. Equipes operaram clínicas próximas da frente de batalha, onde as pessoas tinham medo de se deslocarem e não poderiam arcar com longas viagens até instalações médicas. Equipes móveis realizaram 19.505 consultas ambulatoriais para doenças crônicas, saúde sexual e reprodutiva e saúde mental, atendendo os deslocados internos e a comunidade local. Equipes de MSF também administraram clínicas móveis em vários outros locais entre Mossul e Erbil, e uma unidade cirúrgica emergencial foi estabelecida no distrito, oferecendo atendimento às pessoas diretamente afetadas pelo conflito armado.

Duas equipes móveis ofereceram atendimento básico e de saúde mental em uma série de locais em Kirkuk e arredores, e uma terceira equipe ofereceu apoio ao Diretório de Saúde do campo de Laylan na gestão de doenças crônicas e serviços de saúde sexual e reprodutiva. No total foram realizadas 48.895 consultas. Perto do fim do ano, com a chegada de outras organizações médicas em Kirkuk, MSF repassou a outras Ongs a maior parte de suas atividades em Kirkuk, voltando seus esforços para as áreas mais distantes, mobilizando por exemplo uma clínica móvel para atender deslocados que vivem em pequenos assentamentos ao longo da estrada para Bagdá, perto de Tuz Kurmato, por temerem viajar pela área militarizada em busca de tratamento médico.

As atividades em Bagdá tiveram início em março no distrito de Abu-Ghraib, com uma clínica móvel atendendo a comunidade local e os deslocados vivendo nos campos de Abu-Ghraib e Al-Salam. Em resposta às imensas necessidades, uma segunda equipe começou a trabalhar em setembro para trazer atendimento médico a vários outros locais desse distrito pobre.

MSF também ajudou deslocados e comunidades anfitriãs no norte do distrito de Garmian e na província de Diyala, vizinha, com atividades que iam do atendimento básico em instalações do Ministério da Saúde até clínicas móveis. Equipes ofereceram serviços de saúde mental em três campos em Khannaqin, Diyala.

Epidemia de cólera

Em setembro, MSF respondeu a uma epidemia de cólera que se espalhou pela região central do Iraque e afetou as províncias de Dohuk, Kirkuk, Erbil, Bagdá, Diyala, Najaf, Diwaniya e Babil. Avaliações dos serviços de água e saneamento foram realizadas em todos os locais afetados e equipes de MSF ofereceram apoio ao Ministério da Saúde no treinamento, promoção de saúde e atividades de higiene e controle de infecção em todos os hospitais que lidaram com a epidemia.

Curdistão iraquiano

Desde maio de 2012, MSF tem sido a principal organização humanitária oferecendo serviços médicos, em colaboração com o Diretório de Saúde de Dohuk, aos refugiados sírios do campo de Domiz - o maior campo de refugiados do Iraque, abrigando 40 mil pessoas.

Em outubro, os serviços médicos gerais foram repassados ao Diretório de Saúde, mas MSF continua a oferecer serviços de saúde mental, sexual e reprodutiva, tratamento para doenças crônicas e atividades regulares de promoção de saúde. A equipe auxiliou em 1.155 partos na maternidade este ano.

MSF também trabalhou nos campos de Sulaymaniyah e Arabat, realizando atividades de promoção da saúde, água e saneamento. Em dezembro, MSF começou a oferecer apoio ao hospital-maternidade de Kalar com doações e treinamento de funcionários.

MSF continuou a oferecer serviços de saúde básicos e de saúde mental em uma clínica na província de Diyala, com foco nas necessidades dos deslocados.

Cirurgia reconstrutiva na Jordânia

Desde agosto de 2006, uma rede de médicos iraquianos tem encaminhado vítimas da violência em todo o Iraque para o hospital de cirurgia reconstrutiva de MSF em Amã, Jordânia. A equipe é especializada em cirurgias complexas que exigem múltiplos estágios de tratamento, particularmente cirurgias maxilo-faciais (envolvendo cabeça, pescoço, rosto, maxilar e sinos), ortopédicas e reconstrutivas envolvendo queimaduras. Os pacientes também recebem apoio psicoterapêutico e psicossocial.

Apoio adicional ao Ministério da Saúde

Periodicamente, MSF organiza programas de treinamento médico para paramédicos iraquianos em associação com o Ministério da Saúde. No início de 2015, 12 fisioterapeutas iraquianos participaram de um curso de treinamento em fisioterapia de 10 semanas.

MSF também ofereceu durante muitos anos apoio ao Centro de Controle de Envenenamento, com sede em Bagdá, oferecendo antídotos que são de difícil obtenção para o Ministério da Saúde.

MSF atuou pela primeira vez no país em 2003.

 

Notícias

Diário de Bordo

Iraque
Início da Atuação: 
2003
Atividades Médicas: 
Saúde mental