Você está aqui

Camboja

Camboja

Em 2015, um projeto que oferece prevenção, exame com diagnóstico avançado e tratamento para cepas da malária resistentes à artemisinina foi inaugurado na província de Preah Vihear.

A resistência à artemisinina, o medicamento mais eficaz atualmente no combate à malária, foi identificada em determinadas partes do Camboja, e isso significa que a doença está se tornando mais difícil de tratar e eliminar nessas regiões. Se os parasitas resistentes se espalharem para além da região do Mekong, chegando a outras partes da Ásia ou África, a forma resistente da doença se tornará uma imensa ameaça à saúde pública, como ocorreu quando os parasitas se tornaram resistentes a medicamentos anteriores de combate à malária. Médicos Sem Fronteiras (MSF) inaugurou um projeto na província de Preah Vihear, onde a resistência à artemisinina foi comprovada. Trata-se de uma região fronteiriça e subdesenvolvida, onde a circulação da população e a ausência de serviços de saúde tornam o controle da malária difícil. O novo projeto tem como foco a população em situação de maior risco, e é voltado para a pesquisa de como se dá a transmissão da forma resistente da malária e a avaliação das estratégias que poderiam contribuir mais para a eliminação da doença na região. Ao longo do ano, MSF trabalhou com o Ministério da Saúde e as comunidades locais para promover a conscientização e aumentar a detecção do número de casos.

Tratamento da tuberculose em Kampong Cham
MSF deu início este ano ao repasse do último de seus programas de tratamento abrangente da tuberculose na província de Kampong Cham, incluindo atividades em Cheung Prey, às autoridades de saúde cambojanas e outras organizações. A equipe transferiu os recursos necessários para exame, detecção, tratamento e acompanhamento de pacientes com tuberculose. O projeto foi encerrado no fim de 2015, com o acompanhamento final de pacientes esperado para junho de 2016.

Profissionais de MSF também realizaram três rodadas de identificação de casos ativos de tuberculose em 2015, nos distritos de Tboung Khmum e Krouch Chhmar.

Embora isso represente o fim da resposta de MSF à tuberculose no país, foi estabelecido um acordo com as autoridades de saúde prevendo a inauguração de um programa de tratamento para hepatite C em 2016.

MSF atua no país desde 1979.

Notícias

Início da Atuação: 
1979
Atividades Médicas: 
HIV/Aids
Tuberculose