Você está aqui

MSF realiza vacinações em massa no Malauí

11/06/2010
Na tentativa de conter a grave epidemia enfrentada pelo país, MSF pretende vacinar cerca de 2,5 milhões de crianças

Desde fevereiro, o Malauí tem enfrentado sua maior epidemia de sarampo em 13 anos. Junto às autoridades de saúde do país, equipes de Médicos Sem Fronteiras (MSF) estão levando assistência para pacientes com sarampo e lançaram uma campanha de vacinação para mais de 2,5 milhões de crianças. Apesar disso, mais esforços serão necessários a nível nacional e internacional para acabar com essa grave epidemia, que coloca muitas vidas em risco.

De acordo com dados oficiais do país, mais de 9 mil pessoas adoeceram até agora e 44 morreram. O princípio da epidemia de sarampo já atingiu mais de 23 dos 28 distritos do país, e novos casos começam a afetar as demais áreas.

Equipes de MSF decidiram então, concentrar esforços nos seis distritos com maior taxa de ataque – numero de novos casos observados de acordo com um determinado período em uma determinada população. Esses distritos são Blantyre, Chiradzulu, Lilongwe, Mangochi, Mzimba e Thyolo.

Em colaboração com o Ministério da saúde do Malaui, MSF tem levado cuidados médicos para cera de 8 mil pacientes com sarampo desde abril. MSF tem apoiado 88 hospitais e centros de saúde localizados tanto em áreas rurais como urbanas. O apoio dado por MSF vai desde o reforço e treinamento de equipe médicas até doações de tratamentos e equipamentos. Em Blantyre, como o sarampo também afeta uma das principais prisões, uma unidade especifica com 15 leitos foi montada no hospital para atender prisioneiros.

Sarampo é uma das principais causas de morte para crianças e adolescentes ao redor do mundo. A doença pode causar sérios efeitos colaterais e aumentar os riscos de desnutrição. Para prevenir um agravamento da epidemia, MSF e o Ministério da Saúde lançaram várias campanhas de vacinação em massa. Entre os dias 3 e 18 de maio, equipes de MSF vacinaram 1,1 milhão de crianças com idades entre seis meses e 15 anos nos distritos de Blantyre, Mzimba e Chiradzulu. Já nos primeiros dias em Blantyre, mais de 50 mil pessoas foram vacinadas, com cada equipe de vacinação lidando em média com 1,5 mil crianças por dia. Desde o dia 10 de maio, MSF tem conduzido outra campanha de vacinação no distrito de Thyolo. Em colaboração com o Ministério da Saúde, equipes de MSF esperam imunizar 285 mil crianças em Thyolo.

Outras campanhas de vacinação em massa estão sendo preparadas e devem começar em breve em Lilongwe (mirando 900 mil pessoas) e Mangochi (400 mil). Isso deve elevar o total de crianças vacinadas para cerca de 2,5 milhões.

Outras equipes de MSF continuam avaliando a situação em outros distritos, tais como Machinga e Balaka, onde casos de sarampo foram relatados. Equipes de MSF já estão tratando pacientes com sarampo e vão começar, no dia 12 de junho, campanhas de vacinação em massa nessas áreas para 400 mil pessoas.

Profissionais nacionais e internacionais adicionais chegaram para reforçar as equipes que atuavam antes do inicio da epidemia. Mil e trezentos funcionários de MSF, a maioria deles nascidos na Malaui, estão atualmente realizando as atividades de emergência de MSF.

Leia mais sobre