Você está aqui

MSF, a partir do dia 1º de julho, no Shopping Iguatemi Florianópolis

30/06/2010
Mostra fica na cidade até 25 de julho. Essa é a última exibição da exposição, que desde 2008, passou por nove capitais do país e foi vista por mais de 180 mil pessoas

Vivenciar a realidade operacional do trabalho desenvolvido pela organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) em situações de emergência como guerras, catástrofes naturais, epidemias e exclusão social é a principal proposta da "Exposição Interativa Médicos Sem Fronteiras no Mundo", que chega ao Shopping Iguatemi no dia 1º de julho. No mesmo dia, às 19h30, o coordenador de Recursos Humanos de MSF, Dominique Delley, participará de um bate-papo e contará um pouco como funciona o processo de seleção da equipe brasileira que trabalha na organização e também sobre sua experiência à frente de missões em Angola, Moçambique, Ruanda e Índia.
 
"Com este evento, pretendemos aproximar dos brasileiros a realidade dos projetos de Médicos Sem Fronteiras. Trata-se também de uma oportunidade para poder prestar contas, explicar melhor quem somos e como somos organizados para o público catarinense", conta Simone Rocha, diretora-executiva de Médicos Sem Fronteiras no Brasil.
 
A exposição, que passou pelas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília, Recife, Salvador, Manaus e Goiânia, está em Curitiba até o dia 27 de junho e já foi vista por, aproximadamente, 180 mil visitantes, é composta por uma  videoinstalação, onde o visitante poderá escutar sons dos ambientes das intervenções e "atuar" como integrante da equipe de MSF. Durante cerca de cinco minutos, é possível vivenciar a realidade operacional de alguns projetos de MSF desenvolvidos com focos em contextos de desnutrição, catástrofe natural, conflitos armados e epidemias. 
 
"A experiência da interação com o vídeo é dramatizada pelo som, o piso de brita, remetendo o visitante aos acampamentos provisórios de MSF", explica Ana Rosa Reis, assessora de Comunicação Organizacional de MSF e também coordenadora do projeto da exposição.
 
Além do espaço multissensorial, uma exposição fotográfica retrata as ações de MSF. No local, haverá ainda um mapa da atuação de MSF no mundo com destaque para dez crises humanitárias que vêm sendo negligenciadas pela mídia e por autoridades, que poderão ser explicadas pelos voluntários que se revezarão na exposição para atender o público.
 
Os visitantes poderão ainda ver um mapa onde estão os brasileiros que trabalham com MSF e enviar uma mensagem de apoio e solidariedade. De acordo com a psicóloga Elaine Teixeira, que está trabalhando com MSF na Suazilândia, essa ação contribui para amenizar as dificuldades enfrentadas no dia a dia de trabalho. "Quando recebi as mensagens das pessoas que visitaram a exposição por todo o Brasil fiquei emocionada. Saber que pessoas se sensibilizam com o trabalho de MSF e, em especial, dedicam seu tempo a escrever alguma mensagem bonita para alguém que eles não conhecem, é algo que entendo como incrível e muito especial", relata.
 
Uma vitrine com mapas interativos mostra a concentração de pessoas afetadas pela desnutrição, catástrofes naturais, conflitos e tuberculose.

"Para o Iguatemi Florianópolis é um privilégio divulgar o belo trabalho que vem sendo desenvolvido por uma organização humanitária reconhecida internacionalmente como Médicos Sem Fronteiras", comenta Carolina Romanini, Gerente de Marketing do Shopping Iguatemi Florianópolis.

  
Sobre Médicos Sem Fronteiras
Fundada em 1971 por médicos e jornalistas franceses que estavam insatisfeitos com a ajuda humanitária oferecida durante a guerra de Biafra, na Nigéria, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras leva cuidados de saúde para as populações que mais precisam. Tal atendimento é realizado independentemente de interesses políticos, raça, credo ou nacionalidade.
 
MSF chegou ao Brasil em 1991 para combater uma epidemia de cólera que ameaçava a população Yanomami, na região Amazônica. A organização realizou projetos de saúde preventiva com tribos indígenas até 2002. MSF já desenvolveu 15 projetos no país, tendo como principais eixos de atuação a saúde indígena e o acesso à saúde em áreas de violência urbana e com pessoas em situação de rua. Além disso, a organização já respondeu a enchentes no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, e em Barra Mansa, Rio de Janeiro.
 
Atualmente, mais de 28 mil profissionais atuam com Médicos Sem Fronteiras em mais de 60 países. Pelo trabalho realizado, a organização ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1999.
 
Serviço

Exposição Médicos Sem Fronteiras No Mundo
Shopping Iguatemi – Praça de Alimentação
De 1º a 25 de julho de 2010
Visitas Monitoradas: terça a sexta, de 12h às 20h, e sábado e domingo, de 14h às 21h
Entrada gratuita
www.msf.org.br/nomundo