Você está aqui

MSF condena o assassinato de um paciente ferido na Somália

20/10/2002
MSF condena o assassinato de um paciente ferido na Somália

A organização de ajuda internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) condena o ataque que aconteceu no último sábado (19 de outubro) em uma de suas clínicas em Aden Yabal, na região central de Shabelle, na Somália. Neste ataque, uma pessoa foi morta e três outras foram seriamente feridas. A equipe de MSF evacuou os pacientes feridos para o hospital de Jowhar para tratamento.

Os pacientes foram levados à clínica de MSF depois de terem sido envolvidos em confronto armado com homens da milícia rival. Eles foram levados para a emergência da clínica gerenciada por MSF. Sábado de manhã, homens armados entraram na clínica e abriram fogo contra estes pacientes e seus visitantes. Como conseqüência, um dos pacientes foi morto e dois outros foram seriamente feridos. Um dos visitantes também foi ferido. MSF teve de evacuar as vítimas e decidiu suspender suas atividades na área.

MSF considera este incidente uma violação extremamente séria dos princípios fundamentais da lei internacional: a lei humanitária internacional protege especialmente os serviços médicos e afirma que eles devem ser respeitados e protegidos todo o tempo e não deveriam ser objeto de ataques.

Além disso, de acordo com a lei internacional, é proibido atacar pessoas feridas ou doentes. Este caso, em particular, é ainda agravado pelo fato do incidente ter ocorrido dentro de estruturas médicas de uma organização neutra e imparcial, para a qual é conferida proteção especial.

MSF oferece cuidados básicos de saúde e medicação à comunidade de Aden Yabal (onde vivem, aproximadamente, 43 mil pessoas). As atividades incluem vacinações, controle epidemiológica e rápida resposta a doenças altamente contagiosas.

MSF trabalha na Somália há 16 anos. A organização sempre oferece tratamento médico emergencial a pessoas em necessidade, sem fazer distinção entre eles por razões que não sejam médicas.