Você está aqui

Lentidão pode ameaçar oportunidade histórica de combate à tuberculose resistente

19/03/2013
Pessoas vivendo com tuberculose multirresistente (MDR-TB) e seus cuidadores pedem ação urgente

Se as medidas para combater a tuberculose multirresistente (MDR-TB) não forem significativamente intensificadas, as taxas de MDR-TB vão continuar em curva crescente no mundo inteiro e uma oportunidade histórica para melhorar as deploráveis taxas de cura terá sido desperdiçada. Essas medidas devem incluir respostas aos obstáculos que impedem a ampliação tanto de pesquisas que busquem melhores combinações de medicamentos quanto de tratamento. Dois novos medicamentos efetivos contra a MDR-TB devem ser utilizados para encurtar o tratamento, torná-lo mais efetivo e menos tóxico. Esta demanda está entre outras feitas por pessoas que vivem com a doença e pela equipe médica de MSF contempladas em um manifesto público divulgado hoje.


“Por meio século, nós temos aguardado novos medicamentos contra tuberculose que sejam efetivos. Será que precisaremos esperar outros 50 anos para aproveitar essa oportunidade histórica e aprimorar e expandir o tratamento para a TB resistente a medicamentos?”, indaga Dr. Erkin Chinasylova, médico de TB de MSF na Suazilândia. “Melhores tratamentos são mais do que urgentes, mas não estamos vendo nada que esteja perto da prioridade necessária para torná-lo realidade.”


Nos projetos de MSF no mundo estão sendo observados números sem precedentes de pessoas com MDR-TB, cuja resistência foi detectada não somente entre pacientes que haviam sido submetidos a tratamentos de TB que falharam, mas, também, em pessoas recém-diagnosticadas com TB, evidência de que a MDR-TB está se proliferando por conta própria nas comunidades com as quais trabalhamos.


Se não for tratada, a doença infecciosa é fatal, mas o tratamento atual submete as pessoas a dois anos de efeitos colaterais penosos, que incluem psicose, surdez e constante náusea, por conta da aplicação de dolorosas injeções diárias por até oito meses. Nem metade das pessoas tratadas são curadas.


Após cerca de cinco décadas de pesquisa e desenvolvimento insuficientes voltados para TB, dois novos medicamentos – bedaquilina e delamanida – estão em vias de ou foram recentemente aprovados. Pesquisas são extremamente necessárias para determinar a melhor forma de utilizar esses novos medicamentos para que o tratamento seja mais efetivo e mais curto, sendo disponibilizado para tratar o crescente número de pessoas com MDR-TB. Pessoas de todo o mundo em tratamento para MDR-TB e seus provedores de cuidados destacam essas e outras demandas no manifesto “Teste-me, trate-me”, e pedem que outros se juntem a eles neste pedido por ação urgente.


“Estamos em 2013 e estou iniciando o meu quarto ano de vida com TB, quando eu deveria estar no quarto ano da faculdade”, conta Phumeza Tisile, uma mulher de 22 anos que recebe tratamento para tuberculose extensivamente resistente de MSF em Khayelitsha, na África do Sul, e é uma das signatárias do manifesto. “Eu tomei cerca de 20 mil pílulas e mais de 200 dolorosas injeções desde que comecei o tratamento em junho de 2010, e os medicamentos me deixaram surda. Gostaria de poder tomar apenas dois comprimidos por dia por um mês e estar curada.”


O número de pessoas recebendo tratamento para MDR-TB no mundo inteiro permanece surpreendentemente baixo:  menos de uma em cada cinco. Um melhor suporte, tanto político como financeiro, da comunidade internacional é necessário para preencher essa lacuna.


“Justamente quando a TB deveria ser uma prioridade global, estamos observando uma tendência contrária. Isso é inaceitável”, afirma o Dr. Manica Balasegaram, diretor executivo da Campanha de Acesso a Medicamentos de MSF.

 
O Fundo Global é fonte de cerca de 90% do suporte internacional para TB, mas, recentemente, reduziu o montante direcionado para a doença. Antes de uma importante reunião de reposição de recursos a ser realizada este ano, os financiadores devem garantir que o Fundo Global esteja adequadamente suprido para que os países possam receber o apoio necessário para fortalecer a resposta a MDR-TB. Com melhores tratamentos à vista, os países afetados devem intensificar esforços para diagnosticar e tratar a MDR-TB já, para que programas robustos estejam implementados quando novos medicamentos forem introduzidos.

Estirpes de TB resistente a medicamentos são uma crise de saúde global negligenciada: a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 630 mil casos de MDR-TB foram registrados em 2011. MSF oferece tratamento a pessoas com MDR-TB desde 2001. Em 2011, MSF tratou 1.300 pessoas com a doença em 21 países.