Você está aqui

IGWG termina sem acordo sobre pesquisa e desenvolvimento

05/05/2008
Propostas concretas para mudar o sistema vigente, que deixa de atender às necessidades de doenças negligenciadas, não foram alcançadas

Um encontro das Nações Unidas sobre pesquisa e desenvolvimento (P&D) , concluído no sábado passado em Genebra, não conseguiu desencadear ações concretas para mudar o sistema de inovação médica que deixa de atender às necessidades de milhares de pessoas nos países em desenvolvimento.

"O que queríamos era ver os governos promovendo algumas mudanças para um sistema falho, mas eles não encararam o desafio", afirma Dr. Tido von Schoen-Angerer, diretor da Campanha de Acesso a Medicamentos Essenciais de Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Propostas concretas para garantir que sejam desenvolvidos os medicamentos urgentemente necessários e diagnósticos para as doenças que afetam os países em desenvolvimento não tiveram apoio. Considerando as necessidades colossais que observamos nas ações diárias de MSF, essa é uma oportunidade perdida".

O Grupo Intergovernamental de Trabalho sobre Saúde Pública, Inovação e Propriedade Intelectual (IGWG) tinha como tarefa sugerir projetos que abordassem as falhas da P&D médica e que garantisse o acesso aos produtos de saúde.

As negociações, no entanto, não fizeram valer essa oportunidade histórica. Não houve acordo sobre a necessidade de desenvolver mecanismos alternativos para incentivar o desenvolvimento da P&D.

“Manter o sistema vigente e apostar todas as fichas apenas nas organizações filantrópicas não vai resolver o problema", afirma von Schoen-Angerer. “O que nós precisamos é de uma liderança política, particularmente na Organização Mundial de Saúde (OMS) e um sistema mais amplo e ambicioso para a P&D. As negociações deixaram grande parte do trabalho por fazer".

As negociações do IGWG também minimizaram as barreiras do acesso aos medicamentos impostas pelos direitos de propriedade intelectual e foi difícil até mesmo para os países em desenvolvimento estabelecer soluções a longo prazo para promover a saúde pública, como o uso das flexibilidades do acordo TRIPS, no centro da agenda.

Alguns países em desenvolvimento lutou muito para manter suas propostas para a reforma da P&D na mesa. Está agora a cargo da Assembléia Geral de Saúde (AGS), em maio, fazer com que as idéias corajosas tornarem-se ações concretas, uma vez que esse encontro não conseguiu fazê-lo.

A AGS vai ter que determinar quanto progresso poderemos fazer, por exemplo, com relação a novas regras globais para promover e estimular a P&D, sobre novos incentivos de mecanismos como o preço das ferramentas de diagnóstico da tuberculose e outros produtos de saúde essenciais, e agora meios de baixar os preços dos produtos de saúde e aumentar o fluxo do financiamento de P&D.

O Grupo Intergovernamental de Trabalho sobre Saúde Pública, Inovação e Propriedade Intelectual (IGWG) foi criado por estados-membros da Organização Mundial de Saúde (OMS) em maio de 2006. A resolução da Assembléia Mundial de Saúde WHA59.24 decidiu que o IGWG "elaborasse uma estratégia global e um plano de ação...[que], entre outras coisas, criasse uma base sustentável e aprimorada para a pesquisa e desenvolvimento médica essencial para atender as necessidades criadas pelas doenças que afetam disproporcionalmente os países em desenvolvimento".

Em maio de 2007, a resolução 60.30 da Assembléia Geral de Saúde instriu o diretor-geral da OMS para 'encorajar o desenvolvimento de propostas para pesquisa e desenvolvimento', a serem discutidas no Grupo Intergovernamental de Trabalho, que incluem uma gama de mecanismos de incentivo quie também abordam a ligação entre o custo da pesquisa e desenvolvimento e o preço dos medicamentos, vacinas, kits de diagnóstico e outros produtos de saúde.