Você está aqui

Colega de Aurora Teixeira homenageia brasileira que faleceu durante missão em Angola

12/05/2005
Um mês após o falecimento de Aurora Teixeira, uma de suas companheiras de trabalho, Bárbara Burke, médica de um projeto de MSF em Angola, escreve um texto em sua homenagem

Por Bárbara Burke

Dra Aurora Teixeira, Coordenadora Geral de MSF em Angola desde novembro de 2004, trouxe uma tranqüilidade e um senso de estabilidade às águas, muitas vezes tumultuadas, no trabalho diário de MSF. Ela tinha com freqüência a difícil tarefa de navegar o oceano entre os projetos em campo e as diretrizes da coordenação em Paris. Mesmo em tempos de emergência, seu senso de direção, clareza, e sua vitalidade eram marcantes, já que ela se dedicava constantemente para levar adiante os projetos. Sua capacidade de se comunicar de forma bastante clara e de gerir os projetos com segurança, integridade e profissionalismo, refletiam o seu compromisso com MSF.

A carreira profissional da Dra Aurora cruzava os oceanos e chegava a todos os continentes. Além da sua experiência em anestesia, ela tinha anos de experiência com MSF: 8 missões ao todo (Aurora costumava falar sempre de suas experiências na China e uma das suas missões favoritas foi na Palestina).

Mesmo em circunstâncias aparentemente complicadas, ela buscava soluções. Suas palavras e ações eram marcadas por uma combinação produtiva de otimismo e realismo. Ela encorajava seus companheiros de equipe ao reconhecer em cada um seus potenciais e suas capacidades. Embora Aurora soubesse das nossas limitações e das nossas fraquezas, ela procurava nos fortalecer.

Suas tarefas em Angola eram diversas, e quase sempre envolviam viagens a áreas remotas e encontros com autoridades, fazendo o possível para sempre manter todos na missão bem informados. Ela defendeu a terapia de combinação a base de artesunato (FACT) para o tratamento da malária e divulgou a importância da doença do sono num mundo dominado por doenças negligenciadas. Aurora previu o fechamento de algumas operações e criou bases para a abertura de um novo projeto para o controle da doença do sono. Ela participou ativamente da mudança dos objetivos de MSF quando o vírus de Marburg foi identificado na província de Uige.

Aurora parecia bastante excitada com seu trabalho junto a MSF. O dia 3 de abril de 2005 foi um dia típico para ela e exemplifica sua vitalidade e produtividade. Ela se comunicou pela manhã com a Dra Mercedes da Unidade de Emergências em Luanda. Logo após, ela viajou para uma cidade distante para acompanhar as informações sobre a suspeita da febre hemorrágica. Naquela tarde, ela trabalhou na tradução e na simplificação de um protocolo de triagem para a febre hemorrágica de Marburg. Sua flexibilidade e sua mente aberta permitiram que ela aceitasse as mudanças inerentes às situações emergenciais que se desenvolviam rapidamente. E Aurora procurava sempre informar a todos os seus companheiros, e aceitar com tranqüilidade os desafios de cada novo dia. Com segurança, Aurora realizou tais tarefas com o cuidado e a calma necessários. No dia 3 de abril, ela ainda preparou para toda a equipe sua sobremesa preferida.

Mais adiante, durante a primeira semana de abril de 2005, Aurora sofreu uma acidente vascular cerebral em seu escritório de coordenação em Luanda, Angola, e veio a falecer no dia 10 de abril de 2005.

Durante a missão em Angola, Aurora falava com deleite em sua voz, sempre que mencionava o encontro que teria com seus familiares em maio de 2005. Aurora também antecipava avidamente sobre sua próxima missão com MSF, na Rússia. Gostaríamos de dizer a ela, um "Muito Obrigado" pelo seu exemplo, seu trabalho e por seu comprometimento. Somos felizardos de termos tido o privilégio de trabalhar com uma colega que navegava a todo vapor, cujo horizonte era ilimitado e cujo curso de sua vigem estava sempre na direção certa.