Você está aqui

Combatendo o calazar no Sudão do Sul

13/02/2015

O conflito que eclodiu no Sudão do Sul há pouco mais de um ano deixou a população do país mais vulnerável ao calazar, também conhecido como leishmaniose visceral, doença tropical parasitária transmitida pela picada do mosquito-palha, que, sem tratamento, é fatal. O risco de infecção aumentou na medida em que as pessoas foram deslocadas pelos conflitos para áreas onde a doença é endêmica. O tratamento é difícil, já que muitas instalações de saúde não funcionam em zonas de risco. Por isso, durante um surto em 2014, Médicos Sem Fronteiras tratou mais de 6 mil casos de calazar no Sudão do Sul, sendo a maioria deles em seu hospital em Lankien, no estado de Jonglei. Confira! (Fotos: Karel Prinsloo)

Leia mais sobre