Você está aqui

Dia Internacional da Mulher

A violência sexual é uma preocupação crescente entre os pilares da ação médico-humanitária de Médicos Sem Fronteiras (MSF). Ela demanda atenção devido à sua complexidade, às suas consequências médicas e psicológicas de longo prazo e ao fato de atingir, desproporcionalmente, mulheres e crianças.

VIOLÊNCIA SEXUAL EM PROJETOS DE MSF

Em 2014, nossas equipes médicas trataram mais de 11 mil vítimas de violência sexual em 91 projetos, em 29 países. Mais de 90% delas eram mulheres e meninas; menos de 10% eram homens e meninos. Mais de dois terços de nossos pacientes de violência sexual eram originais de três países: Quênia, República Democrática do Congo (RDC) e Zimbábue. A maioria das vítimas tinha menos de 18 anos.

Nossa assistência a vítimas de violência sexual começa com cuidados médicos e psicológicos gratuitos e confidenciais. Em muitos dos contextos onde trabalhamos, a oferta de assistência similar é limitada. Nosso objetivo é aliviar o sofrimento das vítimas e apoiar a sua recuperação e a retomada de sua vida cotidiana.


Leia o depoimento na íntegra.

Estamos comprometidos com a incorporação de serviços de combate à violência sexual em todos os nossos projetos voltados à saúde da mulher, e com a ampliação da oferta de cuidados de violência sexual em repostas de emergência. Por exemplo, nós atingimos esse objetivo em todos os nossos projetos na República Centro-Africana (RCA) em 2014, um país afetado por conflito. Nós também nos comprometemos a aproximar a oferta desses cuidados da população por meio do treinamento de enfermeiras em centros de saúde menores, a fim de que possam oferecer tratamento de primeira linha, incluindo primeiros socorros psicológicos.

As evidências sugerem fortemente que a violência sexual existe em todos os contextos onde MSF trabalha.
Se não vemos vítimas em nossas clínicas, não significa que elas não existam; quer dizer, apenas, que elas não estão chegando até nós. Pode haver diversas barreiras no acesso a cuidados, mas sabemos que as atividades de sensibilização nas comunidades são extremamente importantes para tornar nossos serviços conhecidos na comunidade, e para romper com a imposição do estigma. Somente por meio de atividades de sensibilização da comunidade, e de ferramentas práticas para as vítimas terem acesso aos serviços, os cuidados de violência sexual podem ser eficazes e eficientes.


Leia o depoimento na íntegra.

MSF também oferece apoio social de curto prazo paliativos até que serviços de longo prazo sejam prestados por outros atores, em caso de disponibilidade. Estamos comprometidos em advogar por mais serviços para vítimas de violência sexual, tendo como alvo líderes comunitários médicos e leigos, ministérios da saúde, outras autoridades nacionais e outras organizações humanitárias. MSF também identificou falhas significativas nos serviços de proteção em muitas dos contextos onde atua, e está pedindo que sejam urgentemente reparadas.